O mais indicado é sentar-se, analisar e entender o que pretende. Recrie uma lista mental de realizações, contas pendentes e desejos para fazer parte dos seus projetos futuros. O segredo é programar-se e a Estrela Guia ajuda-a a conhecer um exercício que vai ajudá-la a saber o que quer para a sua vida e as coisas que quer livrar-se para sempre.

Os "encargos" emocionais

Um desconforto emocional é uma pesada carga mental e espiritual, que nos impede de avançar na vida e conseguir o que realmente queremos. Aqui inclui-se todos os tipos de questões, problemas ou conflitos construtivos ou enriquecedoras, que atuam como obstáculos. Falamos de pessoas, pensamentos, emoções, preocupações ou temores sobre o futuro. Superar esses obstáculos não é fácil, mas saiba que é possível. O ponto de partida é mudar de atitude, abandonar certos hábitos e repensar o passado. Aqui inicia-se o processo de obtenção do "que quer e não tem", um plano, dividido em três etapas, que serve para descobrir o que as suas cargas emocionais são, o que quer para sua vida e o deve fazer para obtê-lo.

Parte I: o cenário atual

O que sente e pensa sobre sua vida atual? Faça um gráfico dividido em três colunas, cujos títulos são:

  1. "O que eu tenho e amo"

Coloque nesta coluna todos os aspetos positivos da sua vida, em todas as áreas: família, amor, saúde, trabalho, dinheiro, etc. São coisas, pessoas ou situações que considera positivas. (Por exemplo: "eu tenho três filhos lindos", "eu tenho um bom trabalho", "eu tenho muitas habilidades e criatividade", etc.).

  1. "O que eu tenho e não quero"

Esta é a lista de tudo de ruim que acredita existir na sua própria vida, bem como todos os obstáculos ao seu progresso. Por exemplo: um trabalho insatisfatório, um relacionamento não está a correr bem, uma pessoa que só aparece para causar complicações ou um traço da sua personalidade construtiva.

  1. "O que eu não tenho e adorava ter”

Nesta coluna, coloque tudo o que gostaria de ter na vida, mas que ainda não tem, ou seja, objetivos, desejos, objetos. Esclarecê-los e fazer uma lista permitirá saber o que quer e, indiretamente, pensar sobre como fazer para obtê-los. Tente ser específica e concreta. Por exemplo, se o que você quer é amor, peça-o da melhor maneira: "uma pessoa com a qual eu me sinto bem e pode formar um vínculo estável" em vez de "eu quero encontrar o amor da minha vida." Escolha as suas palavras com cuidado para pavimentar o caminho que a levará ao sucesso.

Na página seguinte: Parte II: programação transformadora

Parte II: programação transformadora

O que deve mudar para obter "o que quer e o que tem"? Arranje outra folha e divida-a em três colunas. Escreva em cada uma das colunas os seguintes títulos e conteúdo.

  1. O que poderia fazer para tirar da minha vida o que não quero: escreva as coisas que pode fazer para se livrar das cargas emocionais, sem pensar em nada fora de si mesma.
  2. Como é que as pessoas podem ajudar-me a cumprir os meus desejos: há sempre alguém que pode ajudar, seja por razões emocionais, económicas ou práticas. Comece pelos seus entes queridos e siga os seus contatos ou pessoas influentes.
  3. Que "ferramentas" preciso para conseguir o que quero: liste todas as coisas que precisa para obter o que deseja. Pode ser um novo espaço físico para o trabalho, um curso de reciclagem, qualquer atividade produtiva, estudos, computadores, matérias-primas, dinheiro, etc.
  4. Que defeitos devo atenuar para conseguir o que quero: fazer uma avaliação sincera de todas as qualidades da sua personalidade que atuam como inconvenientes: preguiça, medo, dúvida, estruturação, apego, etc.

Parte III: Plano de Ação

O que fazer para avaliar todo o plano e o que pretendo seguir? Divida uma folha em duas colunas, uma maior que outra e, na primeira escreva os passos que deseja seguir. No espaço menor, escreva o período em que a vontade impera. Siga os seguintes passos básicos para facilitar:

* As ações devem ser concretas e realizáveis ​​num prazo razoável;

* Digite uma sequência de ações e a ordem em que eles podem executar: fazer uma lista ordenada temporariamente (1, 2, 3 ..., etc.);

* Tente ser muito detalhada, explicando quando fazer, como e com quem e por que seria benéfico;

* Lembre-se de colocar as coisas que pode fazer sozinha, que dependem de si mesma, e não dos outros;

* Liste todas as variáveis ​​que não dependem de si;

* Finalmente, anote todas as coisas, as situações, os recursos, etc. que não dependem de si e que possam influenciar (positiva ou negativamente) o seu curso de ação. Por exemplo: sorte, a reação dos outros, a resolução de questões que dependem de outros.

Encontre este e outros artigos do seu interesse na revista Maria Helena - Energia dos Astros, à venda numa banca perto de si.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.