'Once Upon A Time In Hollywood' foi o filme que voltou a lançar Brad Pitt para as luzes da ribalta, depois de um tempo afastado. É ao lado de Leonardo DiCaprio, que pela realização de Quentin Tarantino, o ator faz uma vez mais história no mundo do cinema.

Apesar de amar a sua profissão, a verdade é que Pitt não deixa de manifestar o seu desagrado com o lado menos bom desta: a fama.

Questionado numa entrevista se considerava se a fama era sufocante ou libertadora, o artista respondeu: “Pode ser as duas coisas. É libertadora nas oportunidades que proporciona, mas por outro lado, pode ser limitativa”.

“Não vejo a entrada de um hotel há 15 anos, porque tenho de entrar pelas traseiras e sair da mesma forma. Temos os nossos momentos, mas há bons e maus”, completou.

Natural de Oklahoma, o artista recordou ainda as suas origens, bem como o facto de nunca ter andado de avião até se ter tornado ator. “Nunca tinha estado num avião até aos meus 25 anos, por isso, todos os sítios para onde viajava eram realmente entusiasmantes para mim”, revelou.

Leia Também: Brad Pitt já pensa na reforma? Ator fala sobre o futuro na representação

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.