Esta decisão alimentou a especulação sobre um possível distanciamento dos irmãos por conta da suposta tensão entre as esposas Meghan Markle, casada com Harry, e Kate Middleton, mulher de William.

Ao anunciar estas mudanças, o palácio de Kensington explicou que "o objetivo é garantir que o trabalho e as responsabilidades de suas altezas reais sejam mais complementares, à medida que se preparam para as suas futuras funções, e que as suas atividades de caridade reflitam melhor as suas novas rotinas".

Assim, "a Royal Foundation será a principal organização beneficente e filantrópica dos Duques de Cambridge (William e Kate)", informou o palácio. Esta fundação está centrada no bem-estar de militares e veteranos, crianças e jovens, na proteção de espécies em perigo de extinção e no meio ambiente, além da saúde mental.

Já "os duques de Sussex (Harry e Meghan) criarão a sua própria fundação beneficente com o apoio operacional, durante um período de transição, da Royal Foundation", acrescentou o comunicado.

Os príncipes e as esposas continuarão a trabalhar juntos no futuro em temas como saúde mental, afirmou o palácio.

Os dois casais já se tinham separado geograficamente há alguns meses, quando Harry e Meghan deixaram o palácio de Kensington em Londres, onde viviam com William e Kate, para morar numa casa de campo nos terrenos do castelo de Windsor, a cerca de 40 km da capital, onde estão a criar seu primeiro filho, Archie, nascido a 6 de maio.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.