Harvey Weinstein encontra-se a cumprir uma sentença de 23 anos de prisão por crimes sexuais e somou mais uma denuncia às dezenas que 'assombram' a sua vida desde outubro de 2017, quando surgiram os primeiros relatos. Segundo o Page Six, uma mulher sob o pseudónimo de Jane Doe afirma processou o produtor por alegados abusos de que foi vítima durante quase uma década.

Quando tinha 22 anos e estava a dar os primeiros passos na indústria cinematográfica, foi convidada pelo produtor para uma reunião onde esteve também um assistente de Weinstein.

O encontro aconteceu num quarto do Majestic Hotel e quando o assistente abandonou a reunião, Jane Doe revelou ter sentido receio de que o magnata de Hollywood passasse dos limites e decidiu fugir.

Contudo, concordou em encontrar-se novamente com o produtor para discutir o seu futuro profissional.

No terceiro encontro afirma ter sido abusada sexualmente. O episódio terá acontecido durante uma festa onde estavam várias pessoas da indústria do cinema.

Os episódios trágicos terão ocorrido ao longo de nove anos. Um dos quais, segundo o processo, aconteceu no Festival de Cinema de Toronto, em 2014.

Leia Também: Juiz rejeita acordo de 16,6 milhões para vítimas de Harvey

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.