É habitual as médias descerem na segunda fase dos exames nacionais e este ano não foi exceção. Segundo os dados do Júri Nacional de Exames divulgados hoje pelo Ministério da Educação, os resultados foram piores na maioria das disciplinas.

Só duas contrariaram a tendência: os alunos que realizaram as provas de Espanhol e Literatura Portuguesa conseguiram melhorar a média da primeira fase, passando para os 15 e 10,8 valores, respetivamente.

No sentido oposto, sete disciplinas não só pioraram, como registaram classificações médias negativas, fazendo parte dessa lista duas das principais provas.

Já na primeira fase, as médias de Matemática A e Física e Química tinham piorado mais de três valores em relação ao ano anterior e agora voltaram a descer, caindo para menos de 9,5 valores. Os 8.918 alunos que repetiram o exame de Física e Química só conseguiram uma média de 8,8 valores e em Matemática A, a mais concorrida com 11.410 provas realizas, a média fixou-se nos 9,2.

As outras duas disciplinas de Matemática também não registaram classificações médias positivas (Matemática B teve 7,9 e Matemática Aplicada às Ciências Sociais 8,8), à semelhança do Francês (8,8) e, com apenas um e quatro alunos respetivamente, Latim (6,1) e Português Língua Segunda (8,6).

Com piores resultados na primeira fase em relação ao ano anterior, o número de alunos que tentaram melhorar a nota na segunda fase aumentou este ano. No total, foram realizadas 47.666 provas, mais seis mil e um aumento de 14,5%.

Além de Matemática A, as outras quatro disciplinas mais concorridas foram Biologia e Geologia, em que os 8.918 alunos que foram a exame conseguiram uma média de 9,9 valores, Física e Química (8.918 provas), Português (6.780 provas e média de 11,2) e Economia A (2.428 provas e média de 11,6).

“Na segunda fase, a avaliação da componente de produção e interação orais dos exames nacionais de línguas estrangeiras envolveu 1.124 avaliações da componente oral, das quais 969 a Inglês, 94 a Espanhol (iniciação), 25 a Espanhol (continuação), 22 a Francês e 14 na disciplina de Alemão”, acrescenta o comunicado do ministério.

Este ano, os exames nacionais voltaram a não ser obrigatórios para concluir o ensino secundário, servindo apenas para melhorar a nota interna ou para o ingresso no ensino superior.

Os alunos que quiserem utilizar a nota da segunda fase para se candidatarem às universidades e politécnicos podem fazê-lo na segunda fase do concurso nacional de acesso, que decorre entre 27 de setembro e 08 de outubro.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.