“Aveiro tem sido uma região e um hospital que têm tido uma afluência superior ao expectável e, por isso mesmo, um consumo superior ao espectável. Para a zona Centro vão ser distribuídos hoje 10 mil testes e, destes, dois mil vão para Aveiro”, afirmou António Lacerda Sales, na conferência de imprensa diária de acompanhamento da situação pandemia em Portugal.

Quanto ao Lar da Santa Casa da Misericórdia de Aveiro, onde se registaram 15 mortes de idosos associadas à covid-19, o secretário de Estado referiu que “foi testada a maioria dos utentes”, e que deram positivos os resultados dos testes de 78 dos 120 utentes e de 19 dos 151 profissionais.

Lacerda Sales revelou ainda que, relativamente a outras instituições de apoio a idosos de Aveiro, “nomeadamente os de Santa Joana, vão ser testados hoje dois lares com cerca de 80 testes”.

“Estão a ser feitos todos os esforços para que situação de Aveiro fique rapidamente e o mais depressa possível resolvida”, afirmou o secretário de Estado.

O governante disse acompanhar a preocupação do presidente da Câmara de Aveiro relativamente à situação naquele concelho e agradeceu “todos os esforços” feitos pelo autarca “para ajudar a resolver” o problema.

Questionado pelos jornalistas sobre a ausência de vagas nos cuidados intensivos do Hospital de Aveiro, Lacerda Sales referiu a existência de uma ‘task force’ responsável pela “avaliação diária da capacidade de cuidados intensivos” e o “reforço dos ventiladores”.

“Temos uma capacidade expansível gerível pela administração e pelos clínicos do hospital de Aveiro. Essa é uma situação que será respondida por essa ‘task force’”, afirmou.

O presidente da Câmara de Aveiro, Ribau Esteves, disse na segunda-feira que 15 idosos do lar da Santa Casa da Misericórdia morreram depois de terem contraído a covid-19, havendo ainda 99 utentes e funcionários infetados.

Em declarações à Lusa, o autarca notou que a instituição tomou todas as medidas necessárias, com a criação de "uma ala de positivos, com equipas e circuitos autónomos".

O presidente da Câmara deixou ainda um "grito de alerta", afirmando que há lares à espera da execução de testes de despiste à covid-19 que estavam planificados e que não foi possível realizar, porque não há zaragatoas para recolher amostras para irem para o laboratório.

"O que a senhora diretora-geral da Saúde disse na conferência de imprensa, de que não faltavam testes onde eram precisos, é linearmente falso. Em Aveiro, não há zaragatoas. O 'stock' do nosso hospital entrou em rutura e o tal camião que anda para chegar, faz quinta-feira 15 dias e que foi garantido em absoluto que iria chegar este fim-de-semana, não chegou", disse o autarca.

O autarca fez um apelo "desesperado" para que uma parte das 80 mil zaragatoas que o Governo anunciou que iriam ser distribuídas "venha para aqui com urgência", porque "Aveiro é um dos municípios e uma das regiões do país com maior incidência".

Segundo o balanço de hoje da Direção-Geral da Saúde, em Portugal registaram-se 345 mortes por infeção do novo coronavírus, mais 34 do que na véspera (+10,9%), e 12.442 casos de infeções confirmadas, o que representa um aumento de 712 em relação a segunda-feira (+6%).

O desinfetante das mãos pode ser feito em casa ou substituído por álcool?

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.