O Movimento Doentes pela Vacinação voltou a pedir a gratuitidade da vacina antipneumocócica para todas as pessoas com mais de 65 anos, no âmbito do Dia Mundial da Pneumonia, que hoje se assinala. "Consideramos a vacinação antipneumocócica um direito fundamental e lamentamos que, por falta de informação, ainda estejam tantos portugueses por vacinar", criticou publicamente o MOVA, movimento que se tem batido pela gratuitidade da vacina.

"Numa altura em que a Comissão Técnica de Vacinação pondera a introdução de vacinas pediátricas no Programa Nacional de Vacinação e [num contexto em] que o Governo já manifestou intenção de reforçar o investimento na saúde de crianças e de idosos, profissionais de saúde e doentes pedem que se considere, também, a entrada da vacina antipneumocócica conjugada na idade adulta", apela o MOVA num comunicado enviado às redações.

O desafio de combater a depressão na terceira idade. As recomendações da presidente da Associação Portuguesa de Psicogerontologia
O desafio de combater a depressão na terceira idade. As recomendações da presidente da Associação Portuguesa de Psicogerontologia
Ver artigo

"As crianças já têm a gratuitidade da vacina antipneumocócica conjugada 13 valente desde 2015. Pela eficácia comprovada em todas as faixas etárias e pelo enorme potencial na redução das formas mais graves da doença, o MOVA considera que as pessoas com mais de 65 anos também devem ser vacinadas sem custos", refere ainda o documento. "À semelhança do que já acontece com a vacina da gripe, consideramos fundamental que se torne também gratuita a vacina contra a pneumonia para pessoas com mais de 65 anos. Uma medida que, a realizar-se, ajudará cerca de dois milhões de pessoas, contribuindo para evitar uma média de 80 milhões de euros anuais, só em internamentos", assegura o movimento.

A vacinação ao longo da vida é uma das bandeiras do MOVA, fundado há dois anos pela Respira. Para além da Fundação Portuguesa do Pulmão e do Grupo de Estudos de Doenças Respiratórias (GRESP) da Associação Portuguesa de Medicina Geral e Familiar, integra a Liga Portuguesa Contra a Sida, a Associação Portuguesa de Asmáticos, a Associação Portuguesa de Insuficientes Renais e Federação Portuguesa de Associações de Pessoas com Diabetes.

A Liga Portuguesa Contra o Cancro, a Associação de Apoio aos Doentes com Insuficiência Cardíaca e Associação Portuguesa dos Enfermeiros de Reabilitação também são parceiros. "Queremos contribuir para a prevenção consciente de uma doença grave e potencialmente mortal. Vivemos cada vez mais, mas queremos viver melhor. A prevenção de doenças potencialmente fatais é fundamental para um envelhecimento saudável", defende o MOVA.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.