Atualmente, a lei britânica considera um animal roubado um objeto perdido. Um projeto de lei que será apresentado no Parlamento "levará em conta o bem-estar dos animais e o facto destes serem considerados mais do que uma propriedade", explicou o Ministério do Meio Ambiente.

A decisão coincide com a divulgação do relatório de um grupo de trabalho criado pelo Executivo em maio de 2021 para lidar com a epidemia de roubos de cães no país, onde há cerca de 10 milhões de espécimes. Em plena pandemia, grupos de defesa dos animais fizeram soar o alarme e deputados de todo o espectro político pediram ao governo que endureça as sanções.

Para amenizar o tédio, a solidão e a angústia provocados pelos longos confinamentos no país, muitos britânicos compraram animais de estimação. Os preços dispararam, o que atraiu a ganância de alguns.

De acordo com o relatório, sete em cada dez roubos de animais registados pela polícia foram de cães. O preço de algumas raças mais cobiçadas aumentou até 89% em comparação com os valores antes da pandemia.

"O roubo de um animal de estimação é um crime horrível, que pode causar grande stress emocional às famílias. Enquanto isso, criminosos insensíveis enchem o bolso", criticou a ministra do Interior, Priti Patel. O novo crime "dará à polícia uma ferramenta adicional" para levar essas pessoas à Justiça, destacou.

O diretor da associação de defesa dos animais RSPCA, Chris Sherwood, disse acreditar que "isso irá estimular os tribunais a impor sentenças muito mais duras aos ladrões de animais".

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.