As mulheres hipertensas que tenham de recorrer a fármacos preventivos devem medir a tensão arterial um mês após o início da toma, como recomendam inúmeros profissionais de saúde em todo o mundo. Independentemente de ser ou não hipertensa, deverá sempre informar previamente o seu médico de que está a usar um contracetivo hormonal e qual, para que o especialista possa fazer a seleção do medicamento mais adequado.

Ao tomar anti-hipertensores e, uma vez que alguns contracetivos podem em certas mulheres contribuir para agravar a hipertensão, ao fim de cerca de um mês após o início do anti-hipertensor, deve medir a pressão arterial. "Se ela estiver nos valores pretendidos pelo médico [geralmente inferiores a 140/90 mmHg], pode continuar a tomar ambos os medicamentos e medir regularmente a pressão a arterial", garante Maria Augusta Soares.

De acordo com esta investigadora e professora universitária da Faculdade de Farmácia da Universidade de Lisboa, "se os valores estiverem elevados, deve consultar de imediato o médico", aconselha. "Poderá ser necessário ajustar a medicação para a hipertensão, aumentar a dose, adicionar um novo anti-hipertensor e/ou substituir o contracetivo por outro que tenha menos influência na pressão arterial", adverte ainda a especialista.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.