A perda auditiva unilateral, ou surdez unilateral (SSD),  é definida como a perda auditiva profunda de um ouvido com audição praticamente normal do outro lado. As principais causas relacionadas com a surdez unilateral são ototoxicidade (toxicidade ao ouvido interno), doença de Ménière, trauma, infeção da orelha interna (secundários a uma labirintite, otite média, meningite), otosclerose, tumores (schawnomas, neurinomas e outros), doenças circulatórias (como o AVC – acidente vascular cerebral), doenças metabólicas, surdez súbita, fatores genéticos dentre outros.

10 perguntas sobre disfunção erétil cuja resposta os homens deveriam saber
10 perguntas sobre disfunção erétil cuja resposta os homens deveriam saber
Ver artigo

Estima-se que um em cada 500 recém-nascidos e 1 a 3% das crianças tenham perdas auditivas assimétricas. Essa prevalência aumenta com o envelhecimento da população. Em adultos, estima-se que ocorra 200 casos novos de surdez unilateral por cada milhão de pessoas no mundo a cada ano, representando cerca de 50 a 60 mil casos novos nos Estados Unidos e 9 mil no Reino Unido.

Surdez unilateral é incapacitante

Portugal é um dos países que inclui a surdez unilateral como uma incapacidade e, portanto se dispõe de auxílios e da possibilidade de tratamento no Sistema Nacional de Saúde (SNS). A surdez unilateral pode ser incapacitante e ter grande impacto na vida das pessoas, uma vez que algumas das principais habilidades do sistema auditivo fica comprometida.

Ouvir somente de um lado limita a capacidade de localização da  fonte sonora, portanto ao som de uma buzina de um carro a avisar que se aproxima,  corre-se o risco de atropleamentos. Além disso, perde-se a capacidade de ouvir em “estéreo”, semelhante a não poder ver em 3 dimensões, não se consegue ouvir e discriminar todos os sons do ambiente, principalmente sons verbais em ambientes ruidosos e também sons musicais. 

Praticamente todo o nosso dia a dia decorre em ambientes onde há ruído competidor, oriundo de maquinas, conversas, músicas, automóveis, e portanto, a capacidade de compreensão auditiva diminui drasticamente em pessoas com surdez unilateral.

Normalmente, as pessoas com surdez unilateral conseguem, de maneira limitada, se adaptarem as mais diversas situações. Em reuniões, tendem a se posicionar da forma que o melhor ouvido fique direcionado para onde acontece a conversa, ou até utilizam-se da leitura labial como auxilio.

O tratamento

Atualmente, o tratamento da surdez unilateral consiste em duas formas de reabilitação auditiva, podendo ser cirúrgica ou não cirúrgica.  Há a possibilidade de utilização de próteses auditivas convencionais (dispositivo externo adaptável -  sistema CROSS), no qual coloca-se um aparelho-microfone no lado surdo e um aparelho adaptado no lado ouvinte. Esses dois aparelhos se conectam (por tecnologia bluetooth ou similar, sem fios), e o microfone consegue enviar os sons da área que o ouvido surdo não consegue perceber para o outro lado ouvinte, aumentando assim a capacidade auditiva e de discriminação dos sons.  

10 hábitos que estão a destruir a sua pele
10 hábitos que estão a destruir a sua pele
Ver artigo

Outra hipótese de tratamento são sistemas cirúrgicos  ancorados ao osso temporal (sistema B.A.H.A.). Nesses, um dispositivo, que é fixado cirurgicamente no lado surdo, capta os sons do lado surdo e emite para o lado ouvinte através de estimulação e vibração óssea. 

Tais tratamentos, na verdade, não reabilitam o ouvido surdo de facto, mas atenuam e mascaram a perda auditiva unilateral. Desta forma, melhora-se a habilidade de discriminação auditiva em ambientes ruidosos, entretanto não se consegue melhorar a capacidade de localização sonora. Essas tecnologias podem ser testadas, tornando a escolha do tratamento mais personalizada e adequada e, assim pode-se ter uma experiência real de como é ouvir nessas situações.

A única maneira de reabilitar de facto o ouvido surdo e tratar a surdez unilateral é com um implante coclear (IC), que fornece estimulação elétrica da cóclea do lado surdo, estimulando assim o nervo auditivo desse mesmo lado. Com esse implante, consegue-se superar as habilidades auditivas perdidas, como a localização da fonte sonora e a discriminação auditiva em ruído. Entretanto, nem todos com surdez unilateral são bons candidatos a receber esta tecnologia, sendo necessária a avaliação médica especializada.

A surdez é uma das principais deficiências sensoriais do ser humano, e portanto deve ser diagnostica e tratada. Pessoas com surdez devem ter a possibilidade de voltar a ouvir e de reabilitar as habilidades do sistema auditivo. Procure seu médico otorrinolaringologista e vigie sua saúde auditiva.

Os conselhos são dos médicos Tammy Messias Takara, Especialista em Medicina Interna e Saúde Pública, Guilherme Machado de Carvalho, Especialista em Otorrinolaringologia, e Sousa Vieira, Especialista em Otorrinolaringologia, no Hospital Lusíadas Porto.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.