Leander Nardin e Maria Zehentner, um casal de namorados austríacos apaixonado por viagens, percorreu o mundo de mochila às costas durante 10 anos. Depois do filho Lennox Nardin nascer, a logística dos viajantes tornou-se, naturalmente, mais complicada, sobretudo numa primeira fase. Mas, como o ímpeto de viajar nunca abrandou, decidiram vender todos os pertences para adquirir um antigo camião militar de 1977 que converteram na sua nova casa.

"Fartos do ritmo movimentado do mundo ocidental, queríamos ter muito mais tempo com o nosso filho, educá-lo e mostrar-lhe a beleza, a diversidade e a fragilidade do nosso planeta. Decidimos, então, fazer-nos à estrada por tempo indeterminado", conta Leander Nardin no site que criou para divulgar a meia volta ao mundo em quatro rodas que ele e a mulher decidiram um dia fazer com o filho. "Nós queremos ir até à Nova Zelândia, mas não de avião", esclarece.

Cansaram-se da vida que tinham e decidiram ser nómadas modernos
Cansaram-se da vida que tinham e decidiram ser nómadas modernos
Ver artigo

"Nós queremos ir até lá por estrada", afirma o austríaco. "Viajar desta maneira pode ser extremamente cansativo e irritante, mas também é muito gratificante descobrir paisagens e pessoas que só vemos e que só conhecemos com este modo de vida", desabafa o nómada e autor do projeto Akela - From Alp to Alp, o nome do camião militar que os transporta na viagem que pretende "ligar os Alpes Austríacos aos Alpes da Nova Zelândia", como a descreve no site que criou. "Estamos sempre exaustos mas vivemos experiências mágicas", confidencia ainda Leander Nardin. "Parece que estamos permanentemente de férias mas trabalhamos muito, mais do que as pessoas pensam", garante.

Na estrada há mais de dois anos, já passaram por 24 países. Para além de alguns dos Balcãs e da Ásia Central, já visitaram a Coreia do Sul, o Japão, o Bornéu, o Brunei e a Indonésia, como pode ver na galeria de imagens que se segue. "Já muitos nos perguntaram se ganhámos a lotaria e se não ficamos preocupados com a educação do nosso filho", brinca o austríaco, que procura alertar os seguidores para a destruição do planeta nas publicações que faz nas redes sociais.

"A natureza está a ser destruída, os habitantes locais explorados e os animais expulsos e mortos para satisfazer as necessidades humanas e o consumismo", lamenta Leander Nardin. "No Bornéu, vimos mais plantações de dendezeiro [palmeira usada para fabricar o óleo de palma] do que floresta tropical", critica. O muito lixo que têm encontrado também os está a preocupar. "Ainda há uns anos, nem sequer havia plástico na Indonésia", sublinha o pai de Lennox Nardin.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.