Até à primeira metade do século XX, não existiam fotografias a cores, pelo que muitas das memórias de outras épocas que temos tendem a ser sempre a preto e branco, o que acaba por influenciar a nossa perceção das coisas. Em 2015, depois de descobrir imagens da I Guerra Mundial que tinham sido pintadas digitalmente com recurso a programas informáticos, a brasileira Marina Amaral teve uma ideia.

Decidiu fazer o mesmo, aliando o seu fascínio pela história à destreza com que manipula os softwares de tratamento de imagem como o Photoshop. "Comecei a restaurar fotografias que são originalmente a preto e branco e a colocar-lhes cor, permitindo, desta forma, que as pessoas vejam a história de uma perspetiva nova e colorida", revela Marina Amaral, que considera que a cor faz toda a diferença.

"Cada foto é feita para ser realista, reconhecendo o valor por detrás de cada uma delas, respeitando e preservando as suas histórias, prestando atenção aos detalhes e mantendo a sua essência original", afirma ainda no seu site pessoal. Antes de as colorir, a brasileira investiga-as, chegando, em muitos casos, a pedir ajuda a especialistas conseguir para reproduzir fielmente as cores originais e a atmosfera envolvente.

Para Marina Amaral, a cor tem o poder de dar vida aos momentos mais importantes. "O meu trabalho transforma simples retratos em imagens complexas e detalhadas, tiradas de vários períodos históricos, cobrindo uma vasta gama de temáticas", explica ainda a criativa. Veja, na galeria de imagens que se segue, alguns dos trabalhos de coloração digital que desenvolveu ao longo dos últimos três anos.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.