Este indicador da velocidade de transmissão da doença teve ontem mais uma subida, tendo passado de 53,8 casos (sexta-feira) para 58,6 (ontem) por cada 100.000 habitantes diagnosticados nos últimos 14 dias.

Por outro lado, a Espanha registou 6.417 novos casos de infeção pelo coronavírus SARS-CoV-2 desde sexta-feira, tendo o Ministério da Saúde espanhol também notificado mais 54 mortes atribuídas à doença covid-19 durante o mesmo período de três dias.

O número total de casos notificados no país desde o início da pandemia é de 5.032.056 e já morreram 87.558 pessoas devido à doença.

Nas últimas 24 horas, deram entrada nos hospitais de todo o país 191 pessoas com covid-19 e o número de doentes hospitalizados subiu para 1.858 (eram 1.793 na sexta-feira), o que corresponde a 1,52% das camas ocupadas.

Destes, 400 estão em unidades de cuidados intensivos (eram 386 na sexta-feira), ocupando 4,41% das camas desses serviços.

Os serviços do Ministério da Saúde espanhol também informaram ontem que 37,40 milhões de pessoas já estão totalmente vacinadas contra a covid-19 (88,8% da população alvo), e 38,10 milhões têm pelo menos uma das doses do fármaco (90,5%).

O primeiro-ministro espanhol, Pedro Sánchez, disse ontem que, dos 50 milhões de doses de vacinas contra a covid-19 que a Espanha irá doar no primeiro trimestre do próximo ano para os países mais vulneráveis, vão ser reservadas dois milhões para para serem entregues em contextos humanitários.

O chefe do executivo espanhol fez o anúncio no ato comemorativo do 70º aniversário da Convenção de Genebra de 1951 relativa ao Estatuto dos Refugiados, que teve lugar em Madrid, e no qual, entre outros, também participou o Alto Comissário das Nações Unidas paraos Refugiados (ACNUR), Filippo Grandi.

Pedro Sánchez salientou que está consciente de que os recursos contra a pandemia não chegaram a todos e que muitos refugiados estão em “extraordinária vulnerabilidade”, razão pela qual o governo quer reservar dois milhões de doses para serem destinadas a contextos humanitários.

Até agora, a Espanha doou mais de 24 milhões de doses e espera atingir 50 milhões no primeiro trimestre do próximo ano.

A covid-19 provocou pelo menos 5.047.055 mortes em todo o mundo, entre mais de 249,76 milhões infeções pelo novo coronavírus registadas desde o início da pandemia, segundo o mais recente balanço da agência France-Presse.

Em Portugal, desde março de 2020, morreram 18.209 pessoas e foram contabilizados 1.098.125 casos de infeção, segundo dados da Direção-Geral da Saúde.

A doença respiratória é provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019 em Wuhan, cidade do centro da China, e atualmente com variantes identificadas em vários países.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.