“Se me pergunta se conseguiremos ter esta transferência concluída com êxito no prazo que gostaríamos, provavelmente não, mas estamos profundamente comprometidos com este processo e acreditamos nele, assim como todos os atores envolvidos”, afirmou Marta Temido à margem da inauguração da Unidade da Mulher e da Criança do Centro Hospitalar de Vila Nova de Gaia/Espinho (CHVNG/E), no distrito do Porto.

Esta manhã, a governante, juntamente com a ministra da Modernização do Estado e da Administração Pública, Alexandra Leitão, reuniu com a Associação Nacional de Municípios Portugueses (ANMP) para discutir a descentralização de competências nesta área.

Marta Temido considerou que é necessário intensificar este processo para concretizar a descentralização, acreditando que os problemas que existem vão ser ultrapassados.

“Vale a pena recordar que já houve transferência de competências em 20 municípios e que houve mais 38 em várias regiões do país que, logo na primeira fase, manifestaram vontade de aceitar a transferência de competências”, ressalvou.

Entre as principais questões levantadas pelos municípios estão aquelas relacionadas com a transferência de recursos humanos, disponibilidade financeira e responsabilidades, revelou.

Apenas 28% dos municípios tinham aceitado em 2021 competências na área da Saúde e 42% na Educação, dois domínios que devem ser descentralizados obrigatoriamente para estas autarquias a partir do final de março, segundo dados do portal "MaisTransparência".

Além da Educação e da Saúde, também a Ação Social deveria ser uma área obrigatória a partir de 01 de abril próximo para os municípios, mas o Governo aprovou a possibilidade de os municípios requererem a prorrogação, até 01 de janeiro de 2023, do prazo para a concretização da transferência de competências nesta área, que foi a última a ser regulamentada por diplomas setoriais.

Segundo o portal do Governo “MaisTransparência” (https://transparencia.gov.pt/), que apresenta os dados mais atualizados disponíveis, relativos a 2021, neste ano em que se realizaram eleições autárquicas todos os 278 municípios do continente já assumiram pelo menos uma das 20 competências que o Governo está a passar da administração central para a administração local.

Em 2021 foram 91 os municípios que formalizaram a transferência de competências para juntas de freguesia, o que corresponde a 889 freguesias (de um total de 2.282 freguesias no continente) a exercer competências descentralizadas. Este processo resulta na retenção de mais de 70 milhões de euros que seriam transferidos para os municípios, mas que assim são transferidos para as freguesias que aceitaram exercer essas competências.

Portugal continental tem 278 municípios e 2.282 freguesias.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.