Os encontros são complicados, e ainda mais complicados são os primeiros encontros. Apresentar o melhor "eu", enquanto se mantém fiel a si próprio e luta com as borboletas no estômago, pode ser complicado.

Um primeiro encontro não é o momento de “lavar roupa suja” ou para falar do seu “ex”, mas há algumas coisas que deve cobrir desde cedo.

Nem sempre é fácil alinhar expetativas românticas e, num encontro, ainda mais difícil se torna condensar opiniões e passar mensagens importantes. O encontro deve ser capaz de estabelecer expetativas e decidir que tipo de futuro é possível para os dois, por isso é preciso partilhar alguns factos pessoais.

O Felizes.pt partilha um “guião” para o primeiro date com aquele parceiro que parece ideal nas plataformas online - é o momento de descobrir se é o “ideal” na vida real.

1. Quais as suas intenções?

Não é para partilhar já a lista dos nomes de bebé preferidos, mas partilhar que quer ter filhos é importante, para ser transparente sobre o que procura.

Não há nada de errado em procurar um date casual, a menos que esteja a fazer alguém perder tempo se achar que quer algo sério. No mundo dos primeiros encontros, não é impossível acertar à primeira, e alinhar as expectativas à partida é a melhor coisa a fazer.

2. Quais os seus valores?

Não pode haver tabus em cima da mesa: é preciso falar sobre convicções, crenças e religião. Ou mesmo de política e futebol para perceber se os astros se alinham.

3. Tem filhos?

As crianças são o melhor do mundo, mas podem ser só do “seu mundo”. É preciso avisar quando se tem filhos antes de convidar o outro para a sua casa e tropeçar num Lego.

4. Tem animais de estimação? Ou alergias?

Para quem tem alergias a gatos, provavelmente não será boa ideia começar uma relação com quem tenha animais de estimação.

É preciso pôr tudo em pratos limpos no início para não escolher entre um parceiro e o seu animal de estimação (normalmente acaba mal para o parceiro).

5. Onde vive?

Não é aconselhável dar detalhes muito precisos como o número da porta ou o andar, mas se a relação é para avançar, convém saber a cidade em que o outro mora e que não vai ser uma relação à distância.

6. Em que trabalha?

É útil informar o seu par sobre os obstáculos logísticos que ele ou ela pode antecipar se o seu trabalho for por turnos ou trabalhar aos fins de semana. Não precisa de dizer onde trabalha, mas mencionar o ramo de atividade pode ser importante.

7. Perguntar sobre a família e amigos

Podemos saber muito sobre uma pessoa através de quem a rodeia, e as respostas podem ser reveladoras. Isto pode dar-lhe pistas sobre como se relaciona com os outros e conhecer um pouco mais sobre o tipo de pessoa que é.

8. Que características procura num parceiro?

O que procuram na pessoa com quem namoram? Vai querer ouvir o que querem, bem como o que querem evitar e para perceber se é a pessoa ideal para o outro e se cumpre estas características principais.

9. Perguntar sobre o seu pior date de sempre

A resposta e troca de impressões pode levar a uma boa gargalhada e é um bom quebra-gelo. Essa é uma forma fantástica de ver se têm o mesmo sentido de humor, o que também é importante.

10. Um beijo de despedida?

Não tem de haver pressa na intimidade e, na verdade, perguntar se pode existir afeto é importante. É importante obter primeiro a permissão do outro para um beijo de despedida. O pedido de permissão também é atraente, porque mostra que existe interesse e respeito, que ditarão os próximos passos da relação.

No fim do encontro, e deste rol de questões, se as respostas se alinharem com o que cada um está à procura, é provável que estejam na mesma página e é sabido que se um encontro correr bem, recebe algo em troca - um segundo encontro.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.