A segunda vítima mortal é um homem de 87 anos, utente do lar do Centro Social e Paroquial de Casa de Religiosa de Nossa Senhora das Graças, em Carção, no distrito de Bragança.

Um outro utente de 85 anos faleceu também de covid-19 na sexta-feira após ter dado entrada nas urgências do hospital de Bragança de véspera.

Segundo Jorge Fidalgo, "ambas a vítimas mortais eram portadoras de doenças crónicas muito debilitantes".

A situação epidemiológica no Lar de Carção foi revelada no sábado após uma reunião de trabalho para avaliação da situação epidemiológica naquela IPSS, promovida em articulação entre a Unidade de Saúde Pública (USP) de Bragança e o município de Vimioso, na qual marcaram presença os responsáveis distritais da Segurança Social, Bombeiros e Proteção Civil, autarquia, junta de freguesia e GNR.

Há o registo de um utente que "testou negativo" que foi transferido para "a sua residência" e receberá cuidados por parte de uma equipa de apoio domiciliário.

Em declarações à Lusa, no sábado, o autarca de Vimioso, Jorge Fidalgo, referiu que os utentes do Lar de Carção que testaram positivo vão permanecer nas instalações, onde receberão cuidados de uma equipa permanente, composta por oito ou nove funcionários que ficaram "a residir na instituição, durante o período da quarentena, para assim tratar dos idosos".

"Há condições físicas para que esta ação seja concretizada. A evolução da situação epidemiológica e o bem-estar dos utentes será constantemente avaliada por equipas multidisciplinares da Segurança Social que estão em alerta", garantiu o autarca.

A USP de Bragança manterá o contacto com as pessoas que deram positivo para posterior isolamento profilático.

"A situação epidemiológica no lar de Carção e na comunidade será avaliada pela USP, ao longo dos próximos dias", vincou Jorge Fidalgo.

A direção do lar de Carção acionou na sexta-feira o plano de contingência, após a morte do utente.

Segundo o autarca de Vimioso, no concelho há 53 casos ativos de covid-19.

Em Portugal morreram 1.899 pessoas dos 68.025 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Depois de a Europa ter sucedido à China como centro da pandemia em fevereiro, o continente americano é agora o que tem mais casos confirmados e mais mortes.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.