Uma pessoa continua desaparecida e está em curso uma vasta operação de busca e salvamento, precisaram as autoridades encarregadas da gestão das catástrofes naturais.

O anterior balanço oficial na quinta-feira dava contra de 17 mortos.

Segundo os media turcos, o Presidente, Recep Tayyip Erdogan, desloca-se hoje a uma das regiões mais afetadas, para ver os danos e fornecer apoio às pessoas afetadas.

As inundações, que afetaram sobretudo as províncias de Kastamonu, Bartin e Sinop, situadas junto ao mar Negro, foram causadas por chuva intensa na noite de terça-feira para quarta-feira.

Devido à chuva forte, o nível da água subiu até aos quatro metros em algumas cidades, segundo as autoridades, e as ruas transformaram-se em torrentes que transportaram carros e todo o tipo de entulho.

Muitos cientistas estabelecem uma ligação entre o aquecimento global causado pela atividade humana e a ocorrência cada vez mais frequente de acontecimentos climáticos extremos.

A Turquia foi palco nos últimos meses de várias catástrofes naturais, nomeadamente episódios de seca e violentos fogos florestais no final de julho e início de agosto.

Vários responsáveis políticos e associações exortaram o governo a tomar medidas radicais para reduzir as emissões de gases com efeito de estufa.

A Turquia não ratificou o acordo de Paris sobre o clima de 2015.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.