Esta semana conversámos com Paula Trigo, licenciada em Direito pela Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa, pós-graduada em Multimédia na Educação pela Universidade de Aveiro, pós-graduada em Informática Educacional pela Universidade Católica Portuguesa e doutoranda em Formação de Adultos pela Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade de Lisboa.

Paula Trigo esteve ligada ao setor da educação e formação por mais de 25 anos, possuindo vasta experiência na conceção, implementação, gestão e avaliação de projetos formativos nacionais e transnacionais. É formadora certificada com CCP (Certificado de Competências Pedagógicas), formadora de formadores (em modalidade presencial e a distância) e foi formadora de docentes universitários no domínio de especializações pedagógicas para ensino à distância.

É certificada pelo Conselho Científico Pedagógico da Formação Contínua de Professores da Universidade do Minho na área B03 – Educação e Desenvolvimento. No domínio específico do coaching e da PNL (Programação Neurolinguística) possui múltiplas qualificações, nomeadamente uma certificação NLP Academy que implicou formação com John Grinder, Carmen Bostic St Clair e Michael Carroll e uma certificação pelo ICC - International Coaching Community.

Quem é a Paula Trigo, empreendedora?

A Paula Trigo empreendedora e a Paula Trigo mulher são, hoje, a mesma pessoa. Uma pessoa que gosta de ler, de gargalhar e de andar descalça. Que é criativa, audaz, inovadora e por vezes miss matcher. Que se aborrece com a rotina e gosta de mudança. Que ama pessoas, sol e mar. Que tem como drive pessoal e profissional a aprendizagem contínua. Que escolheu renascer para uma vida de maior consciência, congruência e alinhamento com tudo o que é, após uma longa carreira no mundo executivo. E que encontrou a forma de o fazer contribuindo para gerar mudança positiva na vida de pessoas e de organizações.

Os papéis profissionais que escolhi para gerar esse impacto são os de coach executiva e de trainer em PNL. Trabalho com organizações facilitando a implementação de culturas de coaching quer através de ações de formação, quer através de processos de team e de executive coaching. Sou também trainer internacional de PNL, o que me permite ministrar certificações internacionais nesta área, quer em empresas, quer para o público em geral.

Programação Neurolinguística (PNL) explicada aos leigos: do que se trata?

Acima de tudo de um profundo processo de desenvolvimento pessoal e de tomada de consciência sobre nós próprios. Permite-nos aprofundar o conhecimento sobre quem somos, verdadeiramente, por baixo de todos os papéis que desempenhamos na vida. Tomarmos consciência de que tudo o que acontece nas nossas vidas resulta de uma ação (ou omissão) nossas e que não somos vítimas de circunstâncias ou de pessoas, mas que tudo é uma escolha e que se as nossas escolhas (conscientes ou inconscientes) não nos servem, podemos sempre mudá-las. Na base deste trabalho está o pressuposto de que os nossos padrões mentais limitantes possuem uma estrutura e que a identificação da mesma permite a sua reprogramação para outputs emocionais e performances mais potenciadoras.

Agora imaginem só o quão poderoso é passarmos para o lado da causa nas nossas vidas e deixarmos o lado do efeito. Deixarmos de culpar o “outro” seja ele o país, a empresa, a família, os amigos, o patrão, o tempo, a chuva, o sol e passarmos a ter poder pessoal. O poder de perceber que podemos mudar (quase) tudo nas nossas vidas e que nada é definitivo. É por isso que muitas pessoas fazem mudanças profundas nas suas vidas depois de tomarem contacto com o universo da PNL. PNL é tomar consciência de que tenho escolha e depois de tomarmos consciência sobre algo, não é possível voltar atrás.

Como a PNL entrou na tua vida? E porque permaneceu?

Sempre geri equipas e daí adveio um enorme interesse por tudo quanto diga respeito ao desenvolvimento e motivação humanas, gestão de pessoas, comunicação intra e interpessoal e é neste contexto que a PNL surge na minha vida, embora numa primeira fase, sem grande impacto. Não me fez sentido nenhum, acho que não era ainda o momento - estava muito cheia de mim para aceitar a minha vulnerabilidade, para aceitar que, como pessoa, tinha um longo caminho a percorrer no sentido da autoconsciência, da congruência pessoal, da capacidade para gerir e escolher as minhas emoções.

Iniciado esse caminho e o estudo paralelo, alguns anos depois, a PNL foi-se “entranhando” em mim sem eu dar conta e a certa altura já não me fazia qualquer sentido viver de outra forma ou desempenhar a minha atividade enquanto coach executiva sem utilizar ferramentas de PNL. O coaching é um instrumento poderoso mas a PNL eleva o trabalho de coaching a um outro nível de profundidade, potenciando mudanças mais profundas e duradouras.

Business coaching e PNL: complementaridade ou antagonismo?

No meu caso é mais executive coaching pois os meus clientes são predominantemente administradores de grandes grupos económicos e executivos de topo e a relação entre o executive coaching e a PNL é de total complementaridade. Por detrás da capa de executivo, está uma pessoa de pele e osso igual a tantas outras, com as suas inseguranças, anseios, dificuldades, hesitações… o meu trabalho passa muitas vezes por facilitar o reencontro e a pacificação dessas pessoas consigo próprias e com as causas e origens das suas emoções atuais e aqui a PNL joga um papel preponderante, pois possui ferramentas de trabalho poderosíssimas.

Não podemos falar de profissionais a operar a um nível de excelência se esses profissionais não estiverem eles próprios num estado de excelência interna. Se eu tiver inseguranças quanto às minhas competências ou capacidades, medo de perder poder, jamais delegarei, jamais facilitarei o crescimento de outros, ou seja, jamais serei um bom líder. Assim, antes de trabalharmos os líderes no seu papel de líder, trabalhamos a pessoa por detrás do líder e para este trabalho as ferramentas de PNL são, na minha perspetiva, absolutamente imbatíveis.

Quem pode beneficiar da PNL?

Há apenas uma condição para se poder beneficiar da PNL. Ser-se pessoa. Os princípios e pressupostos da PNL podem ser aplicados a qualquer pessoa em qualquer área de atividade. Acredito, veementemente, que teríamos muito a beneficiar enquanto sociedade se todos os humanos pudessem desde cedo tomar contacto com esta forma tão mais potenciadora de estar na vida.

Quem pode dar formação em PNL?

Trainers em PNL, certificados por associações internacionalmente reconhecidas. Eu, por exemplo, sou certificada pela ITANLP – International Trainers Academy of NLP, uma academia fundada, entre outros, por John Grinder, um dos criadores da PNL nos anos 1970.

Para se obter o grau de trainer em PNL, é preciso obter previamente os graus de practitioner em PNL e de master practitioner em PNL.


Saiba mais sobre Mulheres à Obra aqui.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.