As hortências são plantas perenes que exigem cuidados especiais. Pertencentes ao género Hydrangea e à família das Hydrangeaceae, estas variedades botânicas dicotiledóneas possuem cerca de 80 espécies entre arbustos, árvores e lianas. A sua época de floração depende da variedade mas, por norma, varia entre o princípio do verão e o fim do outono. O método de propagação destas espécies mais adequado e usado é feito através de estacas provenientes das pontas dos ramos, no início da estação quente.

São espécies que exigem condições de sol ou meia-sombra, abrigados dos ventos frios e secos. Hydrangea é uma palavra que significa bebedor de água. As hortências necessitam, assim, como o próprio nome sugere, de regas frequentes e abundantes, preferindo solos húmidos e férteis, com boa drenagem e disponibilidade de alumínio. São plantas perenes que exigem cuidados especiais no que diz respeito às podas, que devem ser feitas anualmente, para garantir o seu desenvolvimento.

7 passos para cultivar hortênsias com sucesso
7 passos para cultivar hortênsias com sucesso
Ver artigo

No início da primavera, antes do crescimento das hastes com flor, devem ser podados todos os ramos que deram flor no ano anterior, por forma a estimular a sua floração. No entanto, deverão ser feitas podas de limpeza, de forma a remover partes da planta danificadas, sempre que necessário. No caso da Hydrangea macrophylla, as flores das espécies férteis possuem cinco pétalas e as decorativas, estéreis, quatro pétalas. No que diz respeito à cor das flores, esta pode ser um bom indicador do pH do solo, uma vez que acabam por ser muitas vezes as condições do terroir a definir a tonalidade.

As flores, para serem azuis, necessitam de solos com pH ácido, enquanto que, para exibirem uma floração cor de rosa, necessitam de solos com pH básico. O pH do solo não afeta, todavia, a cor das cultivares brancas. Dentro das mais de 80 espécies de plantas de hidrangeáceas que florescem um pouco por todos os continentes do planeta, existem quatro que os especialistas tendem a recomendar aos jardineiros amadores. Descubra, de seguida, o que as caracteriza e o que também as tende a distinguir.

1. Hortênsia-silvestre

Também conhecida como hortênsia-selvagem, foi batizada cientificamente Hydrangea Arborescens L. Este é um arbusto caducifólio, que pode atingir 3,5 metros. Originário dos EUA, as suas folhas são amplamente ovadas, acuminadas e de margens serradas. Os corimbos, bastante planos, têm uma dimensão de cinco a quinze centímetros, muito ramificados. Esta espécie pode ou não possuir flores estéreis. Quando as possui, o seu número pode variar entre uma e oito flores, pequenas mas numerosas.

2. Hidranja

A Hydrangea Macrophylla (Thunb.) Ser é a hortênsia mais comum. Também conhecida como hidranja, hidrângea ou novelão, é a espécie de hortênsia à qual estamos mais habituados. Este arbusto caducifólio pode atingir uma altura de três metros. Originário do Extremo Oriente, as suas folhas são simples e apresentam uma inserção oposta.

As diferentes cores de hortênsias que existem e o que distingue as variedades mais comuns

A forma é oval e as margens serradas. Tal como o seu epíteto macrophylla nos indica, as folhas são grandes. Os corimbos são, também eles, sobredimensionados, com flores estéreis cor de rosa e numerosas e pequenas flores férteis rosa (em solos básicos) ou azuis (em solos ácidos), dependendo do pH do terreno. Floresce habitualmente no verão.

3. Hortênsia-folha-de-carvalho

Também referenciada como Hydrangea Quercifolia W. Bartram, é um arbusto caduco, com altura entre um a um metro e meio, originário do maior país do continente americano. Os seus rebentos são espessos e robustos no início e avermelhados em baixo. As folhas, largamente ovadas e profundamente lobuladas, com cinco a sete lóbulos, são grandes e vistosas e fazem lembrar as folhas de carvalho, tal como nos indicam o seu nome mais comum (hortênsia-folha-de-carvalho) e o seu epíteto específico (quercifolia).

As margens desta variedade botânica dicotiledónea, de grandes dimensões, são minuciosamente serradas. As suas folhas adquirem bonitos e exuberantes tons cor de laranja, encarnados e roxos na altura do outono. As panículas, mais ou menos eretas, piramidais e longas, com 10 a 25 centímetros, têm numerosas flores estéreis, inicialmente, de cor branca. Depois, adquirem, gradualmente, um tom mais rosado. As flores são férteis, de cor branca. Pequenas e numerosas, também florescem no verão.

4. Hortênsia-trepadeira

A Hydrangea Anomala D. Don, de seu nome científico, é uma trepadeira caduca que pode atingir uma altura entre os dois e os quatro metros, originária dos Himalaias e da China. De folhas simples, ovadas e com margens serradas, assume um tom dourado no outono. Os corimbos, com 15 a 20 centímetros, são bastante planos, compostos por flores estéreis e flores férteis. As estéreis são brancas e inseridas perifericamente. As férteis, de cor creme, pequenas e numerosas, têm floração no início do verão.

As diferentes cores de hortênsias que existem e o que distingue as variedades mais comuns

Texto: Ana Luisa Doares (arquiteta paisagista), Raquel Cunha (arquiteta paisagista) e Teresa Vasconcelos (arquiteta paisagista) com Luis Batista Gonçalves (edição digital)

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.