Mais do que uma tendência na decoração, a urban jungle tornou-se num conceito que veio para ficar. A articulação de plantas tropicais em ambientes interiores para criar uma selva urbana continua a conquistar pessoas de todos os géneros e idades, contaminando-as com o gosto pelas plantas. A criatividade é, indiscutivelmente, um aspeto importante para a criação de envolventes com uma estética mais selvagem mas, neste conceito, a diversidade de cores, de tamanhos e de texturas é o aspeto que predomina.

Esse fator leva a que muitas pessoas procurem mais informação sobre as plantas que pretendem utilizar. A alocasia é um género da família das Araceae, que inclui cerca de 80 espécies conhecidas, entre elas a orelha-de-elefante. Estas plantas tropicais, oriundas de zonas pantanosas da Ásia e da Oceânia, apreciam temperaturas quentes e húmidas e, nestas condições, desenvolvem-se muito rapidamente, criando folhagem exuberante e de grandes dimensões, que acaba por se tornar um elemento de destaque.

São indicadas para qualquer espaço, interior ou exterior. A sua localização deve, todavia, ser planeada. No interior, as frondosas folhas irregulares em forma de coração ou de seta conferem uma sensação tropical e fresca. No exterior, poderão ser utilizadas em maciços, criando volumes exóticos e densos que facilmente se destacam no jardim ou pátio. Como são plantas tropicais, no nosso clima, a sua plantação deverá ser pensada de forma a que a planta não esteja diretamente exposta ao sol direto, ao vento ou ao frio.

Orelha-de-elefante é um dos nomes comuns. Alocasia é a planta perfeita para a selva urbana

Embora sejam plantas resistentes, não toleram baixas temperaturas nem gelo. As suas folhas descoloram ou queimam com excesso de sol. À semelhança da maior parte das aráceas, a floração é rara em ambientes interiores, sendo mais frequente no habitat natural, nas condições perfeitas de desenvolvimento da planta, respeitando o calor e a humidade que exige. Apesar de serem muito ornamentais e interessantes, as alocasias são tóxicas por ingestão para humanos e animais domésticos.

O contacto deve ser, por isso, cuidadoso e as plantas devem estar inalcançáveis por crianças, cães e gatos. Apreciadoras de sombra parcial e ambientes de meia luz, as orelhas-de-elefante devem ser cultivadas em solos profundos, ricos em matéria orgânica. A rega deve ser frequente, sobretudo no verão. Esta variedades botânica prefere um solo húmido, mas não encharcado. Em termos de humidade e de clima, prefere muita frescura e temperaturas mais altas para se desenvolver melhor.

Suscetível ao aranhiço-vermelho e à cochonilha, beneficia de fertilizações frequentes, sobretudo na época de maior desenvolvimento. As folhas secas ou amarelas deverão ser cortadas no momento em que surgirem e as folhas saudáveis limpas regularmente com um pano húmido. Devido às dimensões, as folhas da alocasia eram, ancestralmente, usadas para envolver pessoas febris de forma a aumentar o seu conforto na doença. Também se acreditava que esta ajudasse a afastar maus espíritos.

Orelha-de-elefante é um dos nomes comuns. Alocasia é a planta perfeita para a selva urbana

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.