Com o mês de maio, Lisboa recebe tradicionalmente a sua Feira do Livro. Assim aconteceu em 2019, com a alameda principal do Parque Eduardo VII, a acolher, de 29 de maio a 16 de junho, a 89ª edição de um certame que reúne anualmente centenas de editores e livreiros nacionais e internacionais.

Este 2020, pelas razões sobejamente conhecidas associadas à pandemia COVID-19, a 90ª edição da Feira mereceu adiamento como foi anunciado em março último pela Associação Portuguesa de Editores e Livreiros (APEL), numa altura em que o certame tinha a agenda marcada de 28 de maio a 14 de junho.

O quiz dos livros que mudaram o mundo. 10 perguntas certas valem o brilharete
O quiz dos livros que mudaram o mundo. 10 perguntas certas valem o brilharete
Ver artigo

Agora, com o país a prosseguir o plano de desconfinamento para setores e atividades, traçado pelo Executivo, a APEL anuncia “com enorme satisfação que confirmamos a realização da 90.ª edição da Feira do Livro de Lisboa, entre os dias 27 de agosto e 13 de setembro”. Na prática a feira lisboeta irá decorrer em paralelo com a congénere a norte, na cidade do Porto, com data marcada de abertura a 28 de agosto e de encerramento a 13 de setembro.

Certames que habitualmente não se esgotam na apresentação das novidades editoriais e em catálogo, preços promocionais nos livros e na presença dos autores, mas que trazem um programa de sessões de leitura, encontros com escritores, leituras encenadas, clubes de leitura, palestras, oficinas de artes plásticas, música e dança e que conta, ainda, com uma significativa presença na área alimentar.

Um modelo que, este 2020, será adaptado às normas impostas pelas medidas de contenção da COVID-19 e em linha com o município lisboeta e a Direção-Geral da Saúde (DGS). Condicionalismos que obrigarão, por exemplo, ao afastamento regulamentar entre pavilhões.

“Apesar da situação atípica que se vive a organização da Feira do Livro de Lisboa irá colocar em marcha todas as medidas necessárias para garantir a segurança dos participantes e visitantes. O evento irá assim decorrer com a normalidade possível, tendo em conta as restrições e condicionalismos que a situação provocada pela pandemia exigir”, sublinha a APEL em comunicado.

Recorde-se que em 2019 a Feira do Livro de Lisboa cresceu, em área, perto de dois mil metros quadrados, ocupando zonas verdes no Parque Eduardo VII, acolheu mais de 600 marcas editoriais e teve mais de cem mil títulos disponíveis. Acolheu perto de 500 mil visitantes.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.