Miguel Vieira foi entrevistado por Maria Cerqueira Gomes para o programa 'Conta-me', da TVI, deste sábado, e um dos temas que marcou a conversa foi a luta contra o segundo cancro.

A primeira vez que se viu 'assombrado' pela doença foi aos 16 anos, mas foi com o segundo cancro, já em idade adulta, que Miguel Vieira se deparou com uma das mais desafiantes fases da sua vida.

Tudo começou com uma "dor fortíssima na zona do estômago" que o levou a procurar ajuda médica. Depois de um primeiro diagnóstico, o médico que o examinou desconfiou de imediato que se tratava de algo "grave", pelo que lhe pediu que realizasse uma série de exames.

"O período de vida não eram meses mas sim semanas. Era muito complicado e era preciso explicar à minha família", recordou.

No dia seguinte à ecografia foi submetido a uma operação num hospital privado, à qual se seguiu um duro período de quimioterapia. "A quimioterapia que fiz foi violentíssima. Entrava no domingo e só no domingo seguinte é que me tiravam o cateter. Fazia 16 horas de quimioterapia por dia".

"Achei sempre que ia conseguir [vencer o cancro]. Mas na escuridão da noite pensa-se em qualquer coisa. Tinha medo de deixar a minha família", continuou.

O designer de moda lembrou ainda com humor que fumava cigarros à porta do IPO e que, durante o internamento, continuou a desenhar.

Sobre a lição que aprendeu com o cancro, Miguel Vieira afirmou que passou a "gostar muito mais e a dar valor às pessoas".

Leia Também: Joana Cruz: O otimismo vence mesmo quando tem de adiar tratamento

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.