Carina foi a primeira concorrente do 'Big Brother - A Revolução' a abrir o coração para falar dos acontecimentos que mais a marcaram no segmento 'Curva da Vida', uma novidade que surgiu no 'BB2020' e que se mantém nesta edição.

O testemunho da jovem portuense, de 21 anos, aconteceu na gala deste domingo e ficou marcado pelo traumático abandono da mãe, quando tinha cinco anos.

"A desculpa que me deu, uns anos mais tarde, é que estava a chover e não podia levar-me e que no dia a seguir o meu pai mudou as fechaduras", explicou.

"Nunca vou conseguir perceber porque é que ela fez isso. Ainda hoje sou uma pessoa revoltada. Acho que merecia muito mais", desabafou.

Sendo mãe de uma menina, de um ano, Carina confessou que é-lhe ainda mais difícil entender a atitude da progenitora. "Eu não abandono a minha filha", frisou.

Mais tarde, um segundo relacionamento do pai acabou por marcar a rotura entre ambos. Carina recorda-se como uma adolescente revoltada e afirma que não conseguiu lidar com a presença da madrasta.

Em 2016 saiu de casa e cortou relações com o pai. "De certa forma, eu abandonei-o como fez a minha mãe. Porque deixei-o sozinho", disse em lágrimas.

Meses mais tarde, quando a jovem passou por sérias dificuldades, pediu ajuda à avó e foi então que reatou os laços com o progenitor. Até hoje a relação mantém-se firme.

Em 2019, deu as boas-vindas à primeira filha, a pequena Leonor, fruto do seu atual relacionamento. "Estava super feliz. Não tenho muita autoestima, mas quando engravidei sentia-me poderosa. [...] A minha filha tornou-me uma mulher feliz", rematou.

Leia Também: 'Big Brother'. Carina e Jéssica vencem votação e são recompensadas

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.