O príncipe Harry e Meghan Markle foram considerados, esta semana, duas das 100 pessoas mais influentes do mundo pela revista Time. Os duques de Sussex protagonizaram uma das capas da publicação, a qual já está a dar muito que falar.

Para Eric Schiffer, presidente da Reputation Management Consultants e especialista em imagem pública, a capa foi "uma facada no coração" da reputação da monarca britânica.

"A Meghan e o Harry fazerem uma capa da revista Time das 100 Pessoas Mais Influentes será visto como uma facada no coração da reputação da monarquia por causa da enorme credibilidade implícita que isto traz a eles e às suas anteriores alegações contra a coroa", notou Erick em declarações à Newsweek.

"A estratégia que o Harry construiu de atacar o William e de ser visto como um príncipe genuíno num palco global está a ser lindamente executada", nota.

Na visão do especialista, Harry e Meghan aproveitaram as suas "fraquezas", "enquadrando-se como vítimas" num quadro global. "Ligarem-se de forma tão genuína com a geração Z e as audiências Millennial e permitirem que sintam o que é interagir com um membro da família real, isso, a nível humano, tem sido poderoso", defendeu.

No entanto, importa notar, as reações dos internautas à capa dos duques de Sussex dividem-se. Se por um lado houve quem elogiasse, críticas também não faltaram: Foram muitas as reações negativas a esta capa de Harry e Meghan Markle

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.