Conan Osíris não ganhou o passaporte para a final do Festival Eurovisão da Canção, que se realiza no próximo sábado, em Israel. A eliminação do português levou, de imediato, muitos a manifestar-se na internet, onde as reações voltaram a ser inflamadas. As maiores críticas são feitas por portugueses. "Finalmente, acabou. Calaram a cana rachada e o dançarino com ataques epilépticos", escreveu André Sampaio.

"Ainda bem [que Portugal não passou]. Justiça foi feita. Se aquilo é música, o meu cão é maestro", ironizou Maria da Gloria. "Era de prever", considera também Alcina Lopes. "Foi melhor assim. Pelo menos, não vamos fazer figuras tristes. Peço desculpa pela sinceridade", digitou Isabel Simões. "Até aqueles toninhos que cantam aos domingos à tarde nos programas da TVI conseguem fazer melhor", considera Filipe Abreu.

"Foi das piores palhaçadas da RTP em festivais da Eurovisão. Ainda bem que desligaram [o] telemóvel a estes palhaços", opina José Tavares. "Vão mas é roçar mato nas florestas assim vestidinhos", sugeriu num comentário que fez nas redes sociais Paula Machado. "O lóbi gay não funcionou", sublinha Paulo Marques. "Por este andar, corremos o risco de, no próximo [ano], levarem a Maria Leal", comentou Margarida Afonso.

Anjos caídos, demónios e (muita) sensualidade. O estilo dos cantores da Eurovisão
Anjos caídos, demónios e (muita) sensualidade. O estilo dos cantores da Eurovisão
Ver artigo

Apesar das (muitas) críticas à performance do representante português, também houve quem se insurgisse contra a crítica pública fácil que a internet veio permitir. "Não aprecio mas não deixo de ficar triste por ficarmos [de] fora", sublinhou Carla Cardoso. "Não sou fã mas não sou hater e, obviamente, o meu orgulho de portuguesa era ver Portugal na final. Não compreendo tanto ódio, sinceramente. Podemos não gostar da música mas devemos respeito e leem-se aqui comentários muito tristes", escreveu também Sofia Rijo. "Caramba, os tugas para protestar aparecem sempre", critica Carlos Pereira.

Lá fora, apesar do desaire, a reação foi mais positiva. "O maior choque da noite foi, talvez, Portugal. Conan Osíris era um grande favorito da comunidade de fãs [do eurofestival] mas a sua excentricidade impediu-o de chegar a um público mais abrangente", escreveu, na análise que fez para o blogue Wiwibloggs, um dos mais influentes, Angus Quinn, um dos muitos bloggers na cobertura do evento.

"Foi injusto para Portugal", lamentou de imediato Faty Laouini. "Portugal merecia estar na grande final", considera tambérm Jesús Josafath. "É uma pena Portugal falhar a final. Era uma canção muito interessante", elogia Ramil Mustafazade. "Estou muito desapontado com o facto de Portugal e da Hungria não terem passado. Eram os meus favoritos", assume também Leo Chapman, outro dos seguidores do eurofestival.

Eurovisão. Indumentária de Conan Osíris divide opiniões
Eurovisão. Indumentária de Conan Osíris divide opiniões
Ver artigo

"Eu concordo com a maioria dos finalistas mas Portugal merecia estar na final este ano", escreveu Mauricio Castillo. "É o resultado mais injusto desde que Portugal participa na Eurovisão porque a canção é mesmo muito boa", enaltece um fã que assina como L'oiseau. "Foi uma semifinal de roubos", insurgiu-se mesmo Rachel Ellebye depois de ver a Hungria e a Bélgica, duas das ausências mais incompreendidas, fora do leque de selecionados. "Só os portugueses é que falam mal. Foi brutal", elogia Pedro Miguel Martins.

"Foi a melhor performance da noite. Não importa o troféu, importa que estivemos bem e que fomos bem representados. Parabéns, Conan Osíris e obrigado", agradeceu Miguel Mota. "A atuação de Portugal foi demasiado para a Eurovisão. As pessoas não a entenderam", analisa Mark Doney. "A Europa não estava preparada para Conan Osíris", digitou mesmo nas redes sociais Naim Hussen, outro dos fãs do eurofestival.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.