Quantas vezes ouviu dizer que o casamento engorda? Que os casais felizes engordam juntos? Alguns casais talvez já se tenha deparado com uns quilos extra com o passar do tempo. Ou talvez conheça algumas pessoas que ganharam bastante peso depois do “sim”. Afinal, isto é mito ou realidade?

Pode existir um fundo de verdade nestas afirmações, que não estão relacionadas com a felicidade conjugal, mas sim com os hábitos que um casal adquire quando inicia a vida a dois, hábitos que podem conduzir a um aumento de peso ao longo do relacionamento.

Algumas das pessoas casadas, ou que vivem juntas há muito tempo, ​​têm tendência para desenvolver atividades conjuntas que implicam a ingestão de alimentos muito calóricos. Quantas vezes se sentam no sofá a ver um filme e a comer pipocas? Quantas vezes pedem pizza para jantar porque estão com preguiça de cozinhar? Quantas vezes optam por comer um gelado enquanto conversam? Quantas vezes saem para jantar fora, para festejar algo? E, depois de um dia agitado no trabalho, não há nada mais relaxante do que jantar com o companheiro e falar sobre como correu o dia.

A comida pode acabar por estar presente em inúmeras atividades a dois. E este hábito pode levar a um aumento de peso. Na verdade, são hábitos que podem ser evitados. Para isso, é necessário conhecer os fatores que determinam esta tendência e aprender a contrariá-los.

Sara Prisal indica seis motivos que podem conduzir ao aumento de peso do casal e oferece estratégias para os combater.

1. Tendência para fazer tudo a dois

Na maioria dos casos isso não é mau. Mas quando se trata de comida o que geralmente acontece é que o parceiro que não deseja certos alimentos acaba por comê-los apenas porque a cara metade tinha um desejo por isso. Se a esposa estiver a comer um bolo, o marido provavelmente juntar-se-á a ela e vice-versa.

Muitas vezes, os hábitos adquiridos nos tempos de namoro, como jantares e viagens, podem incentivar a uma alimentação mais exagerada. E isso pode deixar de ser algo pontual para se tornar um hábito enraizado.

É necessário reconhecer quando esta tendência está a entrar na vida do casal e, para a contrariar, é fundamental encontrar alternativas, que passam pela introdução de alimentos saudáveis, em substituição dos mais calóricos, processados e prejudiciais à saúde. É igualmente importante ter cuidado com as quantidades ingeridas, que devem ser limitadas às reais necessidades do organismo. O mais difícil é começar. À medida que o hábito de uma alimentação saudável se vai introduzindo e tornando rotineiro na vida do casal, será mais fácil mantê-lo.

 2. Querer agradar ao outro

Alguns dizem que o amor se conquista pelo estômago. Mas a verdade é que muitos casais gostam de agradar o outro com recompensas. E essas recompensas podem ser comestíveis (e doces).

Ninguém gosta de ver o companheiro ou companheira triste ou dececionado(a). Então, para agradar, pedem aquela pizza de “consolo”. Para piorar a situação, o romance é rodeado por hábitos centrados na comida, com jantares e caixas chocolates a constituírem a imagem clássica do amor.

Mais uma vez, é possível contrariar esta tendência ao optarem por alimentos saudáveis. E em vez de uma caixa de chocolates, um passeio, uma experiência desportiva ou uma visita a um local interessante podem constituir uma alternativa mais saudável, principalmente se envolverem exercício físico.

3. Menor exigência consigo próprio

As pessoas solteiras, ou que ainda estão na fase do namoro, têm tendência para ter um maior cuidado com a sua aparência, o que envolve manter a linha para atrair a atenção do parceiro. Esta necessidade pode diminuir quando as pessoas se casam ou se juntam.

Noutras palavras, casais felizes, satisfeitos e seguros no casamento podem apresentar uma maior tendência para ganhar peso porque não sentem a pressão e a necessidade de conquistar o outro.

Não só pelo outro, mas também (e essencialmente) por nós próprios, devemos manter sempre o cuidado com a nossa saúde, que é fundamental para o nosso bem estar e daqueles que nos rodeiam.

4. Stress da vida familiar

A gestão da vida pessoal e profissional implica momentos stressantes e, quando os problemas do indivíduo passam a ser multiplicados pelos problemas do parceiro e dos filhos, a responsabilidade e o stress podem aumentar.

A comida pode ser um refúgio e uma compensação para muitas pessoas quando se confrontam com situações de stress intenso. Esta busca por compensação emocional nos alimentos pode resultar em exageros que, consequentemente, resultam em excesso de peso.

Há uma série de alternativas muito mais eficazes e saudáveis para lidar com o stress, como por exemplo a meditação, o ioga, o exercício físico ou até mesmo um simples passeio pela natureza.

5. Falta de tempo

Uma pessoa solteira tem, muitas vezes, mais tempo para treinar e planear uma alimentação saudável e um estilo de vida equilibrado. Um casal precisa assumir muitas responsabilidades, principalmente quando tem filhos, e nem sempre sobra muito tempo para cada um enquanto indivíduo.

O tempo sozinho torna-se o tempo de casal, especialmente se tiverem uma agenda ocupada com o trabalho ou outras prioridades. Ir ao ginásio, por vezes, é uma aventura que só acontece após o trabalho. Mas o mais comum é ficar para segundo plano, sendo a prioridade passar tempo com a família.

A articulação entre trabalho e família é o maior desafio enfrentado por muitos casais e o tempo para si próprio é geralmente o mais sacrificado. Torna-se então necessário procurar alternativas viáveis e que não prejudiquem nem a qualidade dos relacionamentos pessoais, nem o desempenho profissional.

Hoje em dia muitas empresas já reconhecem esta necessidade e oferecem aos seus colaboradores oportunidades para fazer exercício no local de trabalho, em articulação com o horário laboral. Há igualmente empresas que oferecem serviços relacionados com a saúde e a qualidade de vida, como apoio psicológico, consultas nutricionais, sessões de meditação e ioga. É necessário sensibilizar as entidades empregadoras para esta necessidade e, ao mesmo tempo, é possível desenvolver atividades familiares em que todos possam, em conjunto, fazer exercício e cultivar um estilo de vida saudável.

6. Gravidez

Finalmente, o grande desafio é a chegada dos filhos. A gravidez pode causar algum aumento de peso e, em especial e por razões óbvias, nas mulheres.

Embora o aumento de peso durante a gravidez seja importante, é imperativo que essas calorias sejam obtidas da maneira correta. É preciso ter uma orientação nutricional adequada, rica nos nutrientes que o bebé precisa para se desenvolver. Este acompanhamento pode ser obtido junto de especialistas qualificados na área da saúde materna e infantil. É igualmente possível manter atividade física moderada durante a gravidez, com o acompanhamento de profissionais qualificados.

Concluindo

Emagrecer é um desafio, mas não é impossível. Tenha atenção que as dietas da moda podem não produzir os efeitos desejados, ainda mais quando a outra parte não participa.

A primeira coisa que o casal (e cada um individualmente) deve entender, é que tudo é uma questão de mentalidade e atitude perante os desafios. A chave para a mudança é o controlo das emoções. Só assim se vai conseguir um emagrecimento consciente e duradouro.

Não é o casamento que engorda, mas sim os novos hábitos que foram construídos. Quando se entende isso, emagrecer a dois torna-se mais fácil.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.