Dois dias depois da morte do estilista alemão, o desfile mais esperado do momento reuniu uma multidão para uma homenagem póstuma, com os amigos de sempre, antigos colaboradores, jornalistas e profissionais do mundo da moda.

"Obrigado por esta magnífica viagem juntos. Com todo o nosso amor, a sua família Fendi", publicou a marca italiana numa página inteira de um dos mais importantes jornais internacionais, mostrando Karl Lagerfeld no terraço da sua sede em Roma.

Nas passarelles, a última coleção assinada pelo "Kaiser" coloca em foco a devoção do criador pelo seu trabalho, "dos primeiros esboços que definem a coleção até ao seu último gesto para a Fendi: o traço romântico de uma seda.

Não se pode evitar ver nestas camisas de golas pontiagudas fechadas até ao último botão o estilo inimitável do estilista alemão.

Nos bastidores, as pessoas que trabalharam de perto com Karl Lagerfeld nesta última coleção lembraram quando, há algumas semanas, o estilista disse "subimos os nossos pescoços e apertamo-os".

São muitas as silhuetas com simplicidade, entre os códigos tradicionais da marca. O logotipo FF "Karligraphy" criada por Lagerfeld, em 1981, aparece nos botões e nos detalhes de pele.

As peles são tratadas com modernidade, desafiando as regras de género, com saias, vestidos e casacos em couro cortado a laser.

Aplausos

Plissados, transparências e assimetrias fazem parte da coleção, com tons neutros, marfim, terracota, verde-água, tangerina e azul.

No final do desfile, o público aplaudiu de pé Silvia Venturini Fendi, diretora criativa para as coleções masculinas, infantil e de acessórios. Logo depois a luz apagou e a marca rendeu uma última homenagem: um vídeo com uma entrevista de Lagerfeld em que explica e mostra o seu primeiro desenho para Fendi em 1965, quando entrou na marca.

"A relação entre Karl Lagerfeld e a Fendi é a história de amor mais longa de toda a história da moda e vai continuar a emocionar-nos durante muitos anos. Sinto-me profundamente triste pela morte de Karl e imensamente emocionada pela sua atenção constante e a sua perseverança até ao final. Quando falámos dias antes do desfile, a sua única preocupação era sobre a riqueza e a beleza da coleção. É um autêntico testamento da sua personalidade. Vamos sentir muita a falta dele", declarou Silvia Venturini Fendi.

Em 1965, Lagerfeld foi convidado pelas cinco irmãs Fendi, Paola, Anna, Franca, Carla e Alda a retomar as rédeas do setor de peles.

Em 1977, o estilista lançou a coleção prêt-à-porter da marca, de quem foi diretor artístico até à sua morte. Um posto que deixa vazio e cuja sucessão ainda não foi anunciada.

Veja a coleção completa:

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.