Os dados do Instituto Nacional de Estatística precisam que, em 179 dos 308 municípios, que concentram 68% da população, o número de mortes entre 17 de agosto e 13 de setembro de 2020 foi superior ao valor homólogo de referência (média para o mesmo período em 2018 e 2019).

Deste conjunto, destacaram-se 44 municípios que registaram um número de óbitos 1,5 vezes superior ao registado no período de referência.

Para os restantes 129 municípios o número de óbitos nas últimas quatro semanas foi igual ou inferior ao observado no período de referência, refere a publicação do INE “Covid-19: uma leitura do contexto demográfico e da expressão territorial da pandemia”.

De acordo com o INE, “a expressão da pandemia continua a ser caracterizada por uma elevada heterogeneidade territorial”.

“Desde o início de março que o número preliminar de óbitos em 2020 para o total do país, aferidos às últimas quatro semanas, se mantém superior ao registado no período homólogo de referência”, referem os indicadores de contexto demográfico e da expressão territorial da pandemia.

Em relação aos novos casos de covid-19, os dados indicam uma “manutenção da tendência de crescimento” observada desde o final de agosto, com valores acima de 4.000 novos casos desde o dia 13 de setembro (valores acumulados dos últimos sete dias), atingindo os 4.760 novos casos (correspondentes a 4,6 novos casos por 10 mil habitantes) a 23 de setembro.

Os dados observam também a continuidade da redução da concentração territorial de novos casos que se verifica desde meados de junho.

De acordo com o INE, o maior nível de dispersão territorial da série foi atingido a 20 de setembro (data de referência dos últimos dados divulgados pela Direção-Geral da Saúde ao nível municipal).

“A 20 de setembro, por cada 10 mil habitantes, registaram-se, 4,5 novos casos de covid-19 (últimos 7 dias)”. Em 55 municípios, este rácio foi superior à média, evidenciando-se os municípios da Área Metropolitana de Lisboa (AML) com destaque para Amadora (9,4), Sintra (9,0), Lisboa (8,8), Odivelas (8,1), Cascais (7,3), Loures (7,2) e Oeiras (6,9)”, salienta.

No conjunto de sete dias terminados a 20 de setembro, a AML representava 43% dos novos casos do país (28% da população).

A análise centrada nas últimas semanas sugere um aumento do número de novos casos na AML com ritmo superior ao do país: na semana terminada a 6 de setembro a taxa de crescimento foi de +21,3% (+8,9% no país) e na semana terminada a 20 de setembro esta taxa foi +31,7% (+12,6% no país).

Os dados relativos aos óbitos são preliminares e correspondem a todas as causas de morte, com base nos assentos de óbito, e os dados sobre a covid-19 têm por base o relatório diário da DGS.

Portugal contabiliza pelo menos 1.931 mortos associados à covid-19 em 71.156 casos confirmados de infeção, segundo os últimos dados da Direção-Geral da Saúde (DGS).

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.