À medida que o tempo passa, é natural necessitar de mais cuidados de saúde e, por vezes, ter um seguro de saúde pode dar-lhe mais flexibilidade, celeridade e poder de escolha.

À primeira vista, até pode pagar as despesas médicas à medida que precisa de cuidados de saúde, em vez de se preocupar com os prémios anuais e copagamentos.

No entanto, isso pode tornar-se muito difícil se tiver uma doença grave, um acidente ou um problema de saúde, porque os custos podem escalar muito rapidamente. Assim, ter um seguro de saúde é um investimento.

No momento de fazer um seguro de saúde, muitos são os casais acabam por subscrever o mesmo seguro para ambos, seja por opção própria, ou porque a empresa onde trabalha ofereceu a possibilidade de adicionar o cônjuge ao seu seguro de saúde corrente.

E porque não devem ser feitos dois seguros de saúde iguais?

Considere bem o seu estado geral de saúde. Costuma ir várias vezes ao médico porque tem um problema de saúde específico ou só faz consultas de rotina?

Faça um balanço da frequência com que costuma visitar um médico, quer esteja a ser seguido numa dada especialidade ou com as prescrições que geralmente toma, se for o caso.

É recomendável comparar, primeiramente, a cobertura dos serviços que, em princípio, vai precisar utilizar.

Se porventura necessitar de mais coberturas, pois o seu caso clínico é diferente do seu parceiro, deve analisar qual a melhor solução para ambos. Por essa razão, é altamente recomendável ir mais a fundo nesta questão e verificar os seguros mais vantajosos para o(s) problema(s) de saúde de cada um.

1. O seguro de saúde de um, pode não ser o mais indicado para as necessidades do outro

Antes de tomar qualquer decisão, deve sempre analisar as variadas soluções disponíveis. Por vezes, o seguro que parece ser mais vantajoso, devido aos descontos ou vantagens apresentadas, pode ser só válido após o cliente pagar uma determinada franquia.

Apesar de muitas vezes as seguradoras oferecerem descontos nos seguros de saúde se incluir familiares na mesma apólice, avalie antes de subscrever.

Se realmente as necessidades desses familiares forem exatamente as mesmas, então pode ser vantajoso aproveitar essas oportunidades. Caso contrário, e como em grande parte dos casos as necessidades de cada um são diferentes, irá provavelmente estar a pagar mais por coberturas que não irá utilizar, ou até mesmo a pagará menos, mas também sem as coberturas que realmente lhe podem vir a fazer falta.

Assim, e sabendo que os seguros de saúde podem ser adaptados às suas necessidades, tente analisar propostas de diferentes seguradoras para tentar reduzir o prémio anual. É particularmente importante analisar diferentes propostas, visto que geralmente as coberturas variam entre seguradoras, especialmente se as suas necessidades forem bastante específicas.

2. O seguro de saúde pode não cobrir fora da rede

Por vezes, acontecem imprevistos e nem sempre é possível recorrer a hospitais dentro da rede de parceiros coberta pelo seu seguro de saúde. Sendo assim, tenha em consideração de que os custos fora da rede geralmente não estão cobertos em seguros de saúde mais básicos. Como tal, ao subscrever o seu seguro de saúde tenha especial atenção aos benefícios (ou à ausência deles) em serviços executados fora da rede.

Se já tiver subscrito um seguro de saúde, mas desconhece se os serviços realizados fora da rede estão cobertos pela sua apólice, ligue para a sua seguradora ou entre em contacto via online. Lembre-se que a sua seguradora pode alterar as apólices de cobertura a qualquer momento, por isso fique atento a cartas ou emails informativos que receba. Se eventualmente tiver de pedir reembolso por despesas efetuadas fora da rede, então pode, na maioria dos casos, aceder ao portal da sua seguradora e preencher o devido formulário ou documentação para o efeito.

Outra questão que deve ter em conta quando subscreve um seguro de saúde é precisamente se os seus médicos habituais, ou seja, os que acompanham o seu processo em clínicas ou hospitais, fazem parte da rede de parceiros.

3. O valor necessário a pagar pelos cuidados de saúde

Diferentes seguros de saúde têm em vista que contribua com quantias diferentes para os seus cuidados de saúde. Ao rever as suas opções, é recomendável identificar as franquias, copagamentos, cosseguros de cada apólice.

A franquia da sua apólice refere-se a quanto irá precisar de pagar pelos seus cuidados de saúde antes que a companhia de seguros comece a pagar por si. Por exemplo, se tiver uma franquia de 500€ na sua apólice, então será responsável pelo pagamento dos primeiros 500€ em despesas com assistência médica.

O copagamento é o valor que fica a cargo do cliente por cada ato médico que faz. Por exemplo, por cada consulta que realiza pode acabar por pagar 10€.

Além disso, veja se compensa pagar o prémio mensal, semestral ou anualmente, e que essa despesa esteja incluída no orçamento familiar.

Se eventualmente necessitar apenas de uma especialidade específica, tem a possibilidade de adquirir apenas os cartões de saúde, que dão acesso a desconto, com preços bastante mais em conta, do que subscrever um seguro de saúde que irá exigir, provavelmente, certas coberturas que não irá necessitar.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.