A entrada ou reentrada na vida ativa é um momento importante de definição de estratégias. O ideal é saber bem o que quer e o que não quer, pois tem de tomar consciência das inevitáveis mudanças e dos passos que vai ter de dar.

Com o máximo de antecedência possível, aposte numa sólida preparação da entrada no mercado de trabalho. Para ajudá-lo a garantir o sucesso desta nova fase, trouxemos três passos fundamentais a ter em conta:

1. Elabore um bom currículo

O currículo é um documento com a sua apresentação, acompanhada da descrição das competências e formação. Tendo em conta que o tempo dispensado por um recrutador para análise de um currículo pode ser muito curto, é fundamental captar a sua atenção nos primeiros segundos de leitura. Logo, este deve ser simples, claro, sóbrio, coerente, de fácil leitura e deve estar bem estruturado.

No documento deve estar presente a seguinte informação: dados pessoais, formação académica, formação complementar, experiência profissional, competências linguísticas, competências informáticas e outras informações relevantes.

Na área dos dados pessoais, devem constar o nome, data de nascimento, morada, número de telemóvel, endereço de e-mail, LinkedIn (nesta altura da sua vida, aconselhemos a que reforce os cuidados com as redes sociais) e carta de condução. Indique ainda o curso, o estabelecimento de ensino e, caso tenha obtido uma média igual ou superior a 14 valores, junte essa informação.

Quanto à formação complementar e profissional, deve indicar quais são, em que entidade decorreram e a sua duração.

Na experiência profissional indique, cronologicamente, os estágios e os trabalhos realizados. Pode ainda acrescentar trabalhos pontuais e esporádicos.

Informe ainda sobre as línguas estrangeiras que domina, qual o nível de expressão oral, escrita e leitura em cada uma delas. Se fez formação específica, deve indicar qual o estabelecimento de ensino e a duração do curso. Deve referir também estadias no estrageiro, caso se aplique.

Em termos de tecnologia, dê conta dos seus conhecimentos sobre sistemas operativos ou programas específicos. E para fechar este capítulo, partilhe informações que possam ser relevantes para a função a que se candidata, por exemplo, atividades extracurriculares, Erasmus, ações de voluntariado, entre outras.

3. Deixa a sua marca na carta de apresentação

Segundo os especialistas, a carta de apresentação é um dos elementos fundamentais em qualquer candidatura. Apresente-se como o candidato perfeito para a vaga em questão. E, deve fazê-lo num registo personalizado. Evite o facilitismo de enviar a mesma carta, ainda que faça ajustes e alterações.

Contudo, esta trata-se de uma carta formal e, como tal, o texto deve ser antecedido de um assunto, o qual remete para o anúncio ou para o cargo a que se candidata.

Depois de indicar o seu nome, área profissional, formação académica e profissional, tem de “casar” as suas características e aptidões académicas e profissionais com a vaga a que se está a candidatar. Aponte as razões que o levaram a candidatar-se e deixe claras as suas aspirações.

Realce ainda algumas das suas soft skills, nomeadamente, o sentido de responsabilidade, autonomia e o gosto por trabalhar em equipa.

Esta carta é também um desafio à capacidade de ser conciso. O texto deve fluir e ocupar, no máximo, uma página (espaçamento de 1,5 em vez de simples e fazer parágrafos). Erros ortográficos, gramaticais ou gralhas são proibidos.

Atendendo a que, atualmente, a maioria das candidaturas são enviadas por e-mail, faça a necessária adaptação. Por exemplo, o corpo do e-mail, mesmo acompanhado de uma boa carta de motivação e currículo, não deve ficar em branco: especifique ao que vai e frise que aguarda uma resposta.

3. Primeira entrevista. Preparar, preparar e preparar

Neste processo, a primeira entrevista, é um momento que exige “trabalho de casa” feito com redobrada atenção e com muita antecedência.

Ninguém consegue adivinhar as perguntas que lhe vão ser feitas, mas se estiver munido do máximo de informação sobre a empresa e o cargo a que se candidata, vai estar mais confiante.

As empresas procuram profissionais que acrescentem mais-valias e ajudem a solucionar problemas. Assim, analise o seu percurso profissional e selecione o que, realmente, é relevante mencionar. Cuidado, não divague e apresente os seus argumentos de forma clara e concisa.

Tem uma entrevista online? Outros cuidados a ter

A entrada no mercado de trabalho acontece, cada vez mais, a partir de uma entrevista online (por vídeo chamada numa qualquer plataforma disponível). Os especialistas aconselham a que teste sempre os equipamentos tecnológicos. Assim, deve ligar com antecedência o computador (ou smartphone), teste a câmara, o microfone e os auriculares.

Se durante a entrevista ocorrer um problema técnico que impossibilite a ligação, seja proativo. Sugira, por exemplo, terminar a entrevista por telefone ou remarcar.

Em termos de imagem e enquadramento, opte por uma divisão sem ruído ou interrupções. Nessa divisão, ou pelo menos no ângulo que a câmara vai apanhar, não pode haver desarrumação.

Se não tiver luz solar suficiente, deve acender as luzes ou até usar um candeeiro adicional para que o seu rosto fique iluminado (teste novamente a qualidade da imagem).

Última dica: olhe diretamente para a câmara para conseguir transmitir confiança.

Presencial ou online: pontos comuns que não podem falhar numa entrevista

Quer seja online, ou presencial, a aparência é um ponto fulcral. Por exemplo, se costuma vestir fato, uma camisa ou blazer para uma entrevista presencial, deve manter essa sua preferência.

Muito cuidado com a linguagem verbal e não verbal. Os dois tipos de linguagem são sempre pontos a ter em conta numa entrevista de emprego, independentemente do seu formato. Na certeza de que, em qualquer um dos cenários, um revirar de olhos ou a falta de um sorriso, podem ditar o fim das suas hipóteses.

Embora o nervosismo possa pesar na linguagem não verbal, existe forma de contornar a situação, nomeadamente, mantendo o rosto relaxado e evitando dispersar o foco visual do ecrã (deve posicionar a câmara à altura dos olhos e o tronco deve estar centrado na imagem). O corpo tem de estar direito, os pés bem assentes e os braços, ligeiramente, descontraídos em cima da mesa.

Em termos de linguagem verbal, fale devagar e pronuncie corretamente as palavras. Não use calão nem linguagem demasiado informal.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.