Nos meses mais frios do ano, pode aproveitar para dividir algumas das suas plantas. "Trata-se de uma forma simples e barata de ter mais plantas e esta é a época ideal para o fazer, pois garante assim que, na primavera seguinte, as plantas já estão em pleno desenvolvimento e, se for caso disso, em floração. Com este tipo de divisão de plantas, garantimos a obtenção de plantas muito parecidas com a planta mãe", assegura Teresa Chambel, arquiteta paisagista, blogger de jardinagem e diretora da revista Jardins.

"Quando for dividir as suas plantas, certifique-se de que estas estão em boas condições fitossanitárias, para que as novas plantas que surgem sejam igualmente saudáveis e resistentes", alerta a também autora dos livros de jardinagem "Um jardim para cuidar" e "Um jardim dentro de casa", dois dos muitos títulos publicados pela editora A Esfera dos Livros. "As plantas não devem estar em floração quando são divididas", refere ainda a especialista, que recomenda a propagação das cinco variedades botânicas que se seguem.

1. Planta-chinesa-do-dinheiro

É uma das plantas mais trendy do momento. O seu nome, planta-chinesa-do-dinheiro, tem a ver com o facto de, na China, se acreditar que traz sorte e dinheiro, sendo uma planta muito comprada por altura do ano novo chinês. Também é conhecida como planta-missionária, pois foi trazida pelo missionário norueguês Agnar Espegren para a Europa nos idos anos da década de 1940. Os americanos chamam-lhe pancake plant por causa da forma redonda das suas folhas, que fazem lembrar pequenas panquecas.

5 plantas que são fáceis de dividir e as condições de cultivo a ter em conta depois de as propagar

Embora seja bastante usada como planta de interior, esta variedade botânica não gosta de sol direto, mas necessita de muitas horas de luz. É resistente ao frio. Necessita de substratos bem drenados e deve regar-se apenas quando o substrato está seco. Requer uma fertilização mensal. "Para a propagar, devem separar-se os rebentos da planta mãe, usando as mãos ou uma faca ou tesoura e poda, se for caso disso. Cada um dos rebentos deve ter um pouco de raiz", esclarece ainda a arquiteta paisagista Teresa Chambel.

"Plante cada um dos rebentos em vaso e mantenha o substrato sempre húmido até a planta enraizar", recomenda a especialista. "Também pode propagar a planta-chinesa-do-dinheiro com um caule mas, nesse caso, tem de o colocar num recipiente com água durante duas a três semanas, até que as raízes cresçam", adverte a autora de "Um jardim para cuidar" e "Um jardim dentro de casa". "Depois, plante-as da mesma forma", aconselha ainda a diretora da Jardins, a revista de jardinagem mais lida em Portugal.

2. Espada-de-são-jorge

Esta é uma planta originária de Africa e, consoante a variedade, pode atingir entre 30 centímetros a 1,5 metros de altura. "É uma planta muito fácil de cultivar, em casa, na varanda ou no terraço. Tem ainda a grande vantagem de ser uma planta purificadora do ar, contribuindo para que o ar em sua casa seja mais limpo e mais puro", sublinha Teresa Chambel. Dizem ainda que dá sorte e dinheiro e que combate o mau-olhado. Na Coreia do Sul, para festejar um bom negócio, é hábito comprar-se uma espada-de-são-jorge.

5 plantas que são fáceis de dividir e as condições de cultivo a ter em conta depois de as propagar

Esta planta dá-se em qualquer tipo de substrato, desde que bem drenado. Gosta de zonas com sol ou meia-sombra, no interior ou o exterior. Deve regá-la quinzenalmente ou mensalmente, consoante a época do ano, fertilizar uma a duas vezes por ano e mudar de vaso a cada três anos. "Esta planta pode ser dividida de três formas diferentes. Pode fazer uma divisão por tufos ou por folhas ou ainda dividir uma folha em várias partes", esclarece a arquiteta paisagista e blogger de jardinagem que dirige a revista Jardins.

"Divida a planta em várias partes, tendo o cuidado de manter sempre um pedaço de raiz", sublinha. "Plante cada uma das partes das plantas em vaso ou em canteiro, velando para que fiquem bem direitas e fixas", sugere a especialista. "Mantenha o substrato sempre húmido sem encharcar, até enraizarem", recomenda. "Também pode retirar as folhas inteiras, plantar cada uma das folhas ou até mesmo várias em vasos. Mantenha o substrato sempre húmido sem encharcar até enraizarem", aconselha Teresa Chambel.

"Pode ainda cortar uma folha grande de espada-de-são-jorge em pedaços com três ou quatro centímetros e, seguidamente, colocar os vários pedaços de folha num vaso ou num tabuleiro com um pouco de substrato, ligeiramente enterrados, para enraizarem", propõe ainda a especialista. "Ao fim de algumas semanas, como poderá verificar, a folha forma uma raiz e, daí, nasce uma nova planta. É importante manter o substrato sempre húmido sem encharcar até enraizarem", salienta também a diretora da revista Jardins.

3. Aloé vera

O aloé vera é uma cactácea muito fácil de cultivar dentro de casa, no jardim, na varanda ou até mesmo num terraço maior. O seu gel, que é muito fácil de extrair, tem muitas propriedades medicinais e benefícios para a saúde. "Esta é uma planta que gosta de zonas com temperaturas altas e de muitas horas de sol direto por dia", refere Teresa Chambel. "Não aguenta temperaturas inferiores a 4° C e o solo ou substrato deve ser muito bem drenado", esclarece ainda a arquiteta paisagista e blogger portuguesa.

"Quando plantamos aloé vera em vaso, este deve ter pelo menos 30 a 40 centímetros de altura e de diâmetro", refere. Os exemplares desta variedade botânica só devem ser regados em períodos de grande calor e secura. Quando os plantar, pode fertilizá-los com recurso a um produto fertilizante específico para catos e suculentas. "Em vaso, pode fertiliá-lo apenas uma ou duas vezes por ano, na primavera e/ou outono. É suficiente", garante a especialista, que explica, de seguida, o que deve fazer para os propagar.

5 plantas que são fáceis de dividir e as condições de cultivo a ter em conta depois de as propagar

"Normalmente, junto da planta mãe, começam a nascer pequenas plantinhas, que vão saindo da raiz da planta mãe. Quando estas plantas tiverem entre cinco a seis centímetros de altura, podem ser separadas da planta mãe e plantadas separadamente. Para o fazer, cada rebento deve ter, pelo menos, três folhas, para que possa enraizar e sobreviver. Para retirar os pequenos rebentos à planta mãe, deve cavar um pouco para soltar as plantas, fazer um corte limpo e retirar os rebentos", aconselha Teresa Chambel.

"Ao exercutar essa tarefa, deve ter o cuidado de deixar o sistema radicular de cada uma das novas plantas completo", alerta. "Devemos colocar cada uma das novas plantas em terra, podemos fazê-lo num canteiro no jardim ou num vaso, só se devendo regar passada uma semana, isto para permitir que, até lá, a zona de corte cicatrize e para não correr o risco de, depois, encharcar as raízes das novas plantas", justifica ainda a autora dos livros de jardinagem "Um jardim para cuidar" e "Um jardim dentro de casa".

4. Alegria-do-lar

Esta é uma herbácea perene que pode estar em floração todo o ano, desde que as temperaturas não sejam muito baixas. Pode ser cultivada no interior ou no exterior, em canteiros, em vasos, em floreiras ou em cestos suspensos, como muitas vezes acontece. "Preferem zonas com meia-sombra e substratos húmidos, ricos em matéria orgânica, com o pH ligeiramente ácido, mas bem drenados. Necessitam de fertilizações, pelo menos, duas vezes por ano, na primavera e no outono", refere Teresa Chambel.

5 plantas que são fáceis de dividir e as condições de cultivo a ter em conta depois de as propagar

"Devem ser regadas regularmente, mantendo o solo sempre húmido", acrescenta ainda a especialista. Esta é uma variedade botânica muito fácil de propagar por estacas de ramos e até mesmo por caules. "Basta cortar pedaços de ramos, sempre com entrenós", recomenda a especialista. "Depois, só tem de colocar os caules em substrato ou em terra, deixando os entrenós sempre em contacto com o solo. Passado algum tempo, eles vão enraizar e dar origem a uma nova planta", esclarece a arquiteta paisagista e blogger.

5. Planta-aranha

Também conhecida como clorófito, esta é uma planta muito resistente e fácil de cultivar, tanto no interior como no exterior. Dentro de casa, tem a grande vantagem de ser uma planta purificadora do ambiente. A sua estrutura pendente torna-a muito interessante para floreiras de pendurar e para cestos suspensos. Tem uma folhagem ornamental verde e branca e uma floração insignificante branca nos meses de verão. "São plantas que preferem zonas com algumas horas de sol direto por dia", refere ainda Teresa Chambel.

5 plantas que são fáceis de dividir e as condições de cultivo a ter em conta depois de as propagar

Gosta de solos ligeiros, bem drenados, com matéria orgânica. "Necessita de regas regulares e de ter o substrato sempre húmido, sem encharcar", avisa. Esta planta produz muitos estolhos. A partir dos entrenós, surgem novas rosetas, que parecem miniaturas. "Pode cortar com o entrenó, colocar em água a enraizar uma semana e, depois, plantar no local definitivo. Também a pode dividir por tufos, tirando-a da terra e dividindo-a em vários pedaços. Todos devem ter raiz. Depois, é só plantar no local definitivo", explica.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.