Não tem jardim mas não dispensa a companhia das plantas? Os vasos são uma excelente alternativa e permitem até criar pequenos jardins em varandas, terraços ou pátios. Mas necessitam de determinados cuidados para que o sucesso fique garantido. Estes recipientes constituem uma alternativa para ter um jardim em terraços ou pátios pavimentados. A grande maioria das plantas adaptam-se perfeitamente ao cultivo em recipientes de diversas formas, tamanhos e materiais. Um jardim composto apenas por vasos pode ser muito apelativo. No fundo, depende dos cuidados que lhe dedicar e das opções que tomar.

Exige mais trabalho, é certo, mas no final o resultado é compensador. A rega tem de ser regular, uma vez que a água da chuva não é suficiente. A administração de adubo tem de ser frequente, porque os nutrientes do substrato são mais limitados. Os transplantes são outra das exigências desta solução e a lista não se ficam por aqui. Aprenda a tirar maior partido do verde das plantas com as sugestões que lhe fazemos e as recomendações que, de seguida, lhe enunciamos.

Preparação do recipiente

O primeiro passo é assegurar-se que o vaso dispõe de furos de drenagem na base, para assegurar que a água em excesso possa sair. Depois, convém dispor no fundo do vaso uma capa composta por pedaços de tijolo, pedras ou qualquer outro material drenante, para evitar que os furos fiquem obstruídos e causem encharcamento. Em alguns casos, é aconselhável colocar os recipientes sobre suportes elevados para que os furos de drenagem não toquem no solo. A drenagem correta é essencial para o êxito do cultivo em vasos, já que os encharcamentos são prejudiciais para a maioria das plantas.

Substrato

A não ser que o vaso seja de grandes dimenões e assegure muito boa dre nagem, o substrato não deve ser de terra de jardim, mas sim composto esponjoso e terra vegetal especial para vasos. O tipo de substrato depende da planta e do tempo que permaneça no recipiente. As misturas de cultivo polivalente são as mais apropriadas para espécies permanentes, como as trepadeiras, enquanto um substrato turfoso é aconselhável para espécies que duram pouco, como as anuais. Deve encher o vaso por capas, compactando com as mãos, sem apertar muito.

A escolha

A variedade de recipientes é muito ampla, quer em formas, quer em tamanhos e materiais. Devem combinar sempre com o estilo de jardim e serem adequados às características da espécie que vai comportar. Para as pequenas coníferas, árvores e arbustos, são ideais os vasos de terracota. Em jardineiras de madeira ficam bem as espécies compactas e pequenas, como crisântemos e prímulas. As plantas pendentes ou suspensas devem ser plantadas em vaso.

Em pátios protegidos, pode usar vasos de cerâmica, onde crescem muito bem as plantas amantes da humidade, como fetos e azáleas. Para a escolha certa, nada como uma visita ao seu centro de jardinagem, onde pode obter ajuda especializada para os seus objetivos.

Veja na página seguinte: Os cuidados a ter com a rega e com a adubação

Manutenção

A rega e a adubação também exigem cuidados especiais:

- Instalar um sistema de rega por gota-a-gota é o mais adequado para proporcionar a humidade que os vasos necessitam. O substrato seca rapidamente, sobretudo em tempo quente, se exposto ao Sol ou numa zona com muito vento.

- A água da chuva nunca é suficiente. Além disso, há que ter em conta que os vasos de argila secam mais rapidamente que os de plástico. Os programadores são ideais para as ausências prolongadas de casa. Colocar uma cobertura sobre o substrato ajuda a mantê-lo fresco durante mais tempo. Se o composto secar totalmente, convém submergir o vaso no balde de água minutos antes e deixar escorrer.

- Outro cuidado básico é a adubação. As espécies cultivadas em vaso requerem mais alimento extra que as de jardim, uma vez que os nutrientes se esgotam antes. Pode utilizar adubos líquidos, em granulado ou tabletes.

- Se as raízes assomam pelos furos de drenagem, é sinal que a planta cresceu muito relativamente ao vaso ou mostra sintomas de debilidade e necessita de transplante.

- Deve preparar um recipiente 5 cm maior e fazer a mudança com cuidado. Nos vasos grandes, basta renovar a capa superficial do substrato. Esta operação é feita na primavera.

Veja na página seguinte: Cuidados a ter em todas as estações do ano

Cuidados a ter no outono e no inverno:

- Árvores e arbustos

No outono, pode preparar jardineiras com crisântemos, ásteres, dálias, entre outras plantas que estão em plena floração. Pode também preparar arbustos como evónimos, ligustro e pequenas Coníferas. No inverno, graças às proteções, também não vão faltar plantas. As flores dão lugar às decorativas bagas de espinhos e azevinho. Mas também há algumas flores, por exemplo as dos rododendros e azáleas.

- Proteger do frio

É uma das vantagens dos recipientes. Quando a temperatura baixa, por exemplo, podem ser mudados de local para um sítio fechado ou mais quente. Por vezes,não é necessário transportar os vasos. Basta cobrir com plástico de bolhas, serapilheira ou tecidos grossos para que não sofram com as geadas.

Cuidados a ter na primavera e no verão

- Vivazes e anuais

As bolbosas primaveris crescem bem nos cestos. Plantadas no outono, combinam perfeitamente com as bienais precoces. No verão, as protagonistas são as cestas pendentes com petúnias e lobélias, entre outras. E as jardineiras à base de anuais e vivazes em flor.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.