Originária do México, país onde alcançou grande popularidade, a dália (Dahlia) é um género botânico da família Asteraceae, que em fase adulta pode alcançar 1,5 metros de altura. A origem das dálias, herbáceas de porte médio e planta perene, remonta ao período do império asteca, sabendo-se que foram os índios mexicanos os primeiros a cultivar esta planta. O nome da flor deve-se ao botânico sueco Anders Dahl, responsável pela expansão da planta no norte da Europa.

Deve-se, contudo, aos holandeses e aos franceses o incremento do cultivo e da produção de numerosas espécies híbridas de dálias. Foram estes híbridos que deram origem aos diversos tipos desta planta e na grande variedade de formas que adquire como pompom ou bola e as cores branca, alaranjada, vermelha, amarela e rosa. Além, claro, das mais de três mil variedades resultantes de cruzamentos com outras plantas dos quais os crisântemos são um exemplo.

Existem várias categorias de dálias. Esta pode apresentar-se como uma flor singela ou com folhas dobradas, collarette, nenúfar, entre outras. As dálias desenvolvem-se bem em qualquer solo, desde que não seja demasiado ácido nem demasiado alcalino. O ideal é um bom solo moderadamente argiloso e ligeiramente ácido. Trata-se de plantas que necessitam de muito alimento e por isso no outono deve misturar no solo uma boa quantidade de estrume, composto ou outra matéria orgânica, além de adubo composto.

Como plantar

O local ideal para plantar dálias deve ser arejado,quente e soalheiro. Convém que durante a tarde as dálias passem algum tempo à sombra, no entanto deve evitar locais com sombra prolongada. Deixe a superfície do solo irregular, de forma a que as geadas e a água da chuva possam penetrar bem. Em caso de dúvidas sobre o tipo de nutrientes existentes no solo, pode aplicar fertilizante específico para dálias, logo após a brotada dos primeiros botões.

Os tubérculos de dália devem ser plantados em março ou abril. As dálias que atinjam alturas elevadas (entre 1,20 e 1,50 metros) devem ficar a entre 60 a 80 centímetros de distância entre si. As que atinjam alturas médias (entre 0,90 e 1,20 metros), a 60 cm distância, e as baixas a 30 centímetros. Coloque tutores no local onde vai plantar as dálias. Estes devem ser mais curtas do que a altura final das plantas. Abra uma cova com 15 centímetros de profundidade em frente da estaca, de forma a que o botão na base do velho caule possa ser colocado junto à estaca.

Prepare a mistura para plantar, composta por um balde de turfa para quatro colheres de sopa de adubo orgânico rico em azoto. Em seguida, encha metade da cova e coloque o tubérculo sobre essa base, de forma a que o seu colo fique cerca de cinco centímetros abaixo da superfície do solo. Cubra o tubérculo com mais terra e se houver várias raízes tuberosas sobre o caule certifique-se de que todos os espaços vazios ficam cheios com terra. Depois da cova completamente cheia, compacte o solo com os dedos e não regue de imediato.

Veja na página seguinte: Os cuidados a ter com as dálias no exterior

No exterior

Também é possível plantar no exterior dálias jovens cultivadas em vasos, adquiridas em viveiros ou centros de jardinagem. Plante no exterior em abril ou maio, quando o risco de geadas estiver completamente afastado. Também é necessário colocar tutores no canteiro. Comece por preparar uma mistura com um balde de turfa e quatro colheres de sopa de adubo orgânico rico em azoto. Regue as dálias na altura da plantação no exterior e dois dias depois, caso o tempo se mantenha seco.

Abra uma cova e coloque duas mãos da mistura. Retire a planta do vaso com cuidado para manter o torrão intacto. Se as raízes já estiverem a envolver o exterior do torrão, não as puxe para fora, para evitar danificá-las. Coloque o torrão dentro da cova, preencha o espaço com mistura para plantar e compacte com os dedos.

Armazenar no inverno

Em meados do outono, após o enegrecimento da folhagem, corte os ramos velhos, deixando cerca de 15 centímetros de caule em cada tubérculo. Desenterre os tubérculos com cuidado e retire o excesso de terra. Guarde os tubérculos com a cabeça para baixo durante cerca de três semanas. Depois de secos, leve-os para local fresco e cubra com casca de pinho até à primavera, altura em que pode voltar a plantar.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.