Daniel Guerreiro abriu o seu coração e falou do seu passado numa conversa franca com os colegas do 'Big Brother'. Diagnosticado com hiperatividade aos 10 anos de idade, o concorrente procurou ajuda psicológica logo desde muito cedo, processo que se voltou a repetir mais tarde.

"Foi quando decidi de livre vontade aos 21, que fui a uma consulta de psicologia, fiz o que senti que tinha de fazer que era verbalizar tudo e mais alguma coisa. Ela terminou a consulta a dizer que não era capaz de me ajudar e que queria que eu fosse para a psiquiatria e eu fui. Fez exatamente a mesma coisa comigo, mas bufava enquanto eu falava com ela. No final deu-me exatamente a mesma resposta que foi que não conseguia resolver o meu problema", lamenta, recordando que foi aqui que decidiu tomar uma importante decisão de mudar.

"Nunca mais tive um problema porque disse a mim próprio que havia a possibilidade de mudança. E aí começam a abrir-se novas portas. Tirei do meu telemóvel tudo o que eram músicas de rap, porque ouvia muito Tupac, Eminem... comecei a ficar mais acordado de dia do que de noite, deixei de me dar com determinadas pessoas, de frequentar determinados sítios, nunca mais tive nada. Hoje em dia tenho uma forma muito simpática de lidar com o meu passado", nota.

Contudo, mesmo sem dar grandes pormenores, Daniel nota que passou por situações extremas: "Dei por mim trancado num quarto com quatro gajos, uma pitbull e tacos de basebol pelas costas. Queriam-me matar".

Leia Também: "Fico doida": Fátima Lopes chocada com relato de mãe de Rui Alves do 'BB'

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.