Madonna continua a festejar a vitória de Joe Biden nas eleições presidenciais dos EUA e não se cansa de partilhar o que lhe vai na alma com os fãs. "As minhas preces foram ouvidas", desabafou, há menos de uma hora, a cantora, compositora, atriz, realizadora, produtora discográfica e empresária norte-americana de 62 anos, numa publicação divertida que fez nas redes sociais. "Tragam-me vinho", pode ler-se na sola das meias que a artista exibe na fotografia e no vídeo que publicou com os (muitos) admiradores.

Madonna continua a festejar vitória de Joe Biden.

Apoiante assumida de Hillary Clinton em 2016, Madonna nunca viu com bons olhos a candidatura de Donald Trump, por quem terá sido assediada em 1989, à Casa Branca. A revelação foi feita pela sobrinha do presidente norte-americano, Mary Trump, no livro "Too much and never enough: How my family created the world's most dangerous man". A artista mudou-se para Portugal em agosto de 2017, sete meses depois da tomada de posse de Donald Trump como quadrigésimo-quinto presidente dos EUA, em janeiro.

Durante a permanência em Lisboa, que abandonou em definitivo este ano, Madonna, que também não poupa o presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, criticou Donald Trump por diversas vezes. "É um sociopata. Eu nem sequer sei se podemos chamar àquilo um homem", chegou mesmo a denunciar a intérprete de sucessos globais como "Like a virgin" e "Ray of light" durante um dos espetáculos da digressão de promoção do disco "Madame X" que realizou na capital portuguesa. Em junho, tinha-lhe chamado nazi.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.