Chegar a casa depois das aulas, nem sempre representa o fim do dia de trabalho para as crianças. A responsabilidade de realizar os trabalhos da escola, depois de um dia cheio, é um desafio para a maioria dos jovens. Ser capaz de organizar e preparar o trabalho para o dia seguinte, cumprir com as suas obrigações dentro dos prazos, pode representar momentos de ansiedade para as crianças e para as suas famílias.

A verdade é que algumas crianças perdem mais tempo preocupadas com a obrigação de fazer os TPC do que, propriamente, em executá-los. A comparação pode parecer irrelevante, mas não é. A ansiedade consome muito tempo e energia e, por vezes, torna-se difícil de controlar, sobretudo para os mais novos.

À medida que a noite cai, cresce a preocupação: com os trabalhos de casa no topo das prioridades. E o resto, tão ou mais importante? Onde encaixar os tempos de lazer? E o convívio com a família? Se o tempo, ao menos esticasse...

É inegável, o sentimento de preocupação também contribui, todavia, para o sucesso escolar. Revela sentido de responsabilidade, é certo, mas, ao mesmo tempo, pode levar as crianças a olhar para os TPC como algo negativo e assim, a evitar. A ansiedade e o stress podem surgir logo nos primeiros anos escolares,  bloqueando a evolução da criança, sobretudo quando apresenta um quadro de dificuldades de aprendizagem e/ou de atenção.

O que contribui para a ansiedade relacionada com os Trabalhos de Casa?

1. Falta de condições para executar os TPC

As crianças precisam sentir que têm capacidade para fazer os trabalhos de casa que são solicitados. A falta de condições para desenvolver essas tarefas é uma das causas para o aumento dos níveis de ansiedade. É importante, por exemplo, que tenham uma secretária com todos os materiais, bem iluminada e longe de fontes de distração.

2. Sentimento de atraso em relação aos colegas

Quando as crianças sentem que estão em níveis diferentes de aprendizagem em relação aos colegas, os trabalhos de casa podem ser um obstáculo a ultrapassar. A obrigação de os executar e tentar encurtar a distância em relação aos outros alunos mais adiantados na matéria pode aumentar ainda mais o sentimento de ansiedade, na medida em que tentam acompanhar o ritmo das outras crianças. E, não raras vezes, acusam essa pressão.

3. Questões de ansiedade e gestão emocional

A verdade é que existem crianças que por si só já se preocupam com muitas coisas e a dificuldade em gerir a ansiedade prejudica ainda mais a execução dos trabalhos de casa. Para algumas destas crianças com Perturbação de Hiperatividade e Défice de Atenção (PHDA) e outras dificuldades, os trabalhos de casa poderão ser um problema ainda maior, uma vez que a dificuldade em saber gerir emoções pode ser o rastilho para o aumento da ansiedade.

4. Perfecionismo

Algumas crianças com PHDA e outras dificuldades tendem a manifestar preocupação e, ao mesmo tempo, frustração sempre que o trabalho que desenvolvem não é bom o suficiente.

Formas de ajudar a reduzir a ansiedade 

Pode ser cansativo tentar convencer, vezes sem conta, a criança a sentar-se na secretária e iniciar os trabalhos de casa. Se a missão se transformar num verdadeiro pesadelo, equacione procurar a ajuda de um especialista, como por exemplo um psicólogo. Há formas de simplificar o processo em casa e na escola e, assim, ajudar a criança a olhar com outros olhos para a responsabilidade de executar as tarefas escolares.

1. Use a agenda da aula 

Se, por exemplo, o professor de matemática iniciar a resolução dos dois primeiros exercícios dos TPC na sala de aula e pedir para que os restantes sejam feitos em casa, estará a contribuir para a redução dos níveis de ansiedade da criança em casa. Esta estratégia costuma resultar.

2. Use escalas de classificação

É outra estratégia comum para ajudar a criança a controlar o nível de ansiedade. Peça à criança para que, antes de realizar o trabalho de casa, responda às seguintes questões sobre:

Tempo: Quanto tempo achas que precisas para concluir este trabalho de casa?

Dificuldade: Quão difícil achas que será para ti concluir o TPC? Use uma escala de 1 a 5, sendo o 5 o nível mais complexo.

Competência: Qual é a probabilidade de completar com sucesso a tarefa? Atribua a mesma escala de valores para a ajudar.

As escalas de classificação poderão ajudar a criança a perceber que, afinal, a tarefa não levou tanto tempo a executar como tinha previsto. E que acabou por ser mais fácil do que estava à espera. Esta estratégia, ao mesmo tempo, contribuirá para desenvolver uma mentalidade de crescimento, ajudando a família e os professores a perceberem se a criança precisa ou não de mais apoios. As escalas de classificação tendem a ser muito mais eficientes se a escola também as usar. A comunicação é fundamental. Pais e professores precisam ser muito claros sobre o tempo expectável para a realização dos trabalhos de casa. Com a prática, as crianças podem aprender a usar escalas de classificação por conta própria e, assim, através desse autocontrolo, ajudar a quebrar o ciclo de ansiedade em relação aos trabalhos de casa.

3. Defina prazos para os trabalhos de casa

Algumas escolas começam a usar a "regra dos 10 minutos", ou seja, 10 minutos por tarefa. Se a criança não terminar a tarefa nesse período, pondere enviar um email ao professor. Algumas escolas dão aos pais uma tabela para fazer anotações sobre quanto tempo e esforço foram necessários para a conclusão dos mesmos.

É importante que a criança entenda a responsabilidade em realizar os TPC. Contudo, a noite deve ser sempre para descansar. Ajude a criança a entender que o sono pode afetar a maneira como as crianças aprendem. O tempo de descanso é fundamental. Sem as horas adequadas de sono o nível de stress da criança aumenta, dificultando as capacidades de aprendizagem.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.