Em frente ao magnífico Templo de Vênus, sobre o Monte Palatino, no coração do antigo império romano, a marca de luxo desfilou uma coleção com 54 looks, o mesmo número de anos que Lagerfeld trabalhou para a marca italiana.

"O pulso acelera, já que é muito emotivo estar hoje aqui sem ele [Lagerfeld]", disse o presidente da Fendi, Serge Brunswick, diante de 600 convidados para o desfile.

Lagerfeld lançou a linha prêt-à-porter da Fendi em 1977 e manteve-se como diretor artístico até à sua morte, aos 85 anos.

A coleção, com calças de seda, estampados geométricos entrelaçados de pele, um casaco com detalhes a simular mármore e saias de laços, foi criada por Silvia Venturini Fendi, uma das herdeiras da empresa de produtos de pele e couro fundada pelos seus avós Edoardo e Adele em 1925.

Do Templo de Vênus, um dos vestígios dos romanos mais emblemáticos, que a Fendi prometeu restaurar com um contributo de 2,5 milhões de euros, a marca fundada em Roma quis festejar as suas raízes e herança cultural.

Situado no extremo oriente do Fórum Romano, próximo do Coliseu, o maior templo da Roma Antiga era dedicado às deusas e foi construído por ordem do imperador romano Adriano por volta do ano 121.

Fendi, uma das principais marcas do grupo francês de luxo LVMH, continua assim o seu patrocínio dos monumentos arquitetónicos de Roma, trabalho que começou em 2013 com a restauração da Fontana de Trevi, completa em 2015.

Também contribui com o projeto "Fendi for Fountains", que prevê a restauração e preservação das fontes monumentais da Cidade Eterna.

Outro projeto patrocinado pela marca é a renovação completa do Palazzo della Civiltà Italiana, monumento emblemático da arquitetura fascista (apelidado 'Coliseu Quadrado' pelos romanos), que hoje é a sede romana da marca.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.