A realização de um estudo sobre a realidade do enoturismo em Portugal pós-COVID-19, que permitirá perceber o cenário actual das dificuldades vividas pelo setor é anunciada como a primeira medida da recentemente criada APENO - Associação Portuguesa de Enoturismo, entidade que se assume como “a primeira associação dedicada exclusivamente ao enoturismo”.

A associação que contará com apresentação online a 9 de julho (18h00), traz como objetivo  “colocar no mapa o enoturismo português. Para alcançar essa meta, um grupo de profissionais de diferentes áreas, das novas tecnologias à comunicação e marketing, decidiu juntar-se para apoiar os enoturismos nacionais a darem respostas eficazes a vários obstáculos que impedem o setor de evoluir”, sublinha a APENO em comunicado.

Segundo Maria João de Almeida, jornalista especializada na área dos vinhos e presidente da APENO, a estratégia da associação passa por dar expressão ao Enoturismo em Portugal, afirmando-o como um setor de relevo na economia portuguesa, fomentando a sua internacionalização. “A ideia de fundar a associação surgiu o ano passado mas só recentemente se reuniram as condições para avançarmos. Achei importante ter uma equipa na associação que fosse uma mais valia nas mais diversas áreas, de forma a podermos apoiar eficazmente os produtores”.

Ainda de acordo com Maria João de Almeida, a nova associação “terá, inclusivamente, um gabinete de apoio onde os associados poderão recorrer para pedir aconselhamento e serviços. Com esta associação queremos organizar e construir um setor, regulamentar a atividade e orientar quem se quer dedicar a esta área, porque, na verdade, o setor não está formalizado, nem em Portugal nem lá fora”.

“Seremos, acima de tudo, a voz que defende os interesses do setor junto de organismos públicos e do governo, e que procura parcerias junto de empresas privadas. Uma voz que represente o enoturismo português com a dignidade que merece”, conclui a presidente da APENO.

Por seu turno, Lídia Monteiro, Diretora Coordenadora do Turismo de Portugal, diz que “importa evidenciar que o Enoturismo tem capacidade de atração e retenção de turistas geradores de maior valor, para territórios de menor densidade e ao longo de todo o ano. No atual cenário, o Enoturismo é essencial para assegurar a recuperação do turismo”.

Futuramente, a associação investirá também na realização de wine-talks,  formações em enoturismo, na criação de uma bolsa de emprego, num clube dedicado aos enoturistas.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.