O guia, editado pelo semanário Expresso, distingue este ano 62 premiados, nas duas categorias - Boa Cama e Boa Mesa –, que foram hoje anunciados numa cerimónia, ao final da tarde, na sede do grupo Impresa, em Oeiras.

O restaurante que Rui Paula chefia, num edifício desenhado pelo arquiteto Álvaro de Siza Vieira, foi também distinguido com o Garfo de Platina (categoria máxima) – nas edições dos dois anos anteriores tinha sido Garfo de Ouro.

Rui Paula: “Não trabalho para as estrelas do Guia, apesar destas serem bem-vindas”
Rui Paula: “Não trabalho para as estrelas do Guia, apesar destas serem bem-vindas”
Ver artigo

“Rui Paula é muito mais do que um excelente cozinheiro. De forma inteligente, soube interpretar o local que lhe serve de palco, adaptar a carta de maneira a que seja o prolongamento da praia e do mar que tocam nas janelas, e rodeou-se de uma equipa que o percebeu e que trabalhou empenhada para conseguir este resultado. A carta tem 21 cantos, inspirados em Camões, sendo servidos em menus de 6, 12 ou 21 momentos, todos com o mar como ponto de partida”, pode ler-se no guia, que chega às bancas no próximo sábado.

Também com Garfo de Platina mantêm-se, nesta edição, o Feitoria (Chef João Rodrigues, uma estrela, em Lisboa) e o Ocean (Hans Neuner, duas estrelas, Porches), enquanto o The Yeatman (Ricardo Costa, duas estrelas, Vila Nova de Gaia) sobe da categoria de Ouro.

Em sentido contrário, o Belcanto (José Avillez, duas estrelas, Lisboa) desceu da categoria Platina para Ouro.

Já o Alma (Henrique Sá Pessoa, duas estrelas, Lisboa), subiu de Prata para Ouro, categoria que conta agora com 10 restaurantes.

O Garfo de Prata foi entregue a um total de 18 estabelecimentos, entre os quais quatro novas entradas - 100 Maneiras, Prado, Vistas e Fortaleza do Guincho (estes dois com uma estrela Michelin). Os restaurantes Antiqvvm e Pedro Lemos (ambos com uma estrela) desceram da categoria Ouro para Prata.

Rui Paula: Paixões, irritações e ambições do Chefe que preza o silêncio nas cozinhas
Rui Paula: Paixões, irritações e ambições do Chefe que preza o silêncio nas cozinhas
Ver artigo

Quanto à categoria Boa Cama, destaque para a atribuição, pela primeira vez, de uma Chave de Platina ao projeto São Lourenço do Barrocal (Reguengos de Monsaraz) e para a entrega de uma Chave de Ouro para o Savoy Palace, no Funchal.

Já as Casas do Côro (Guarda) descem para Ouro. Nesta segunda categoria, há duas novas entradas diretas: Savoy Palace (Funchal) e do Torre de Palma Wine Hotel (Monforte).

O Monumental Palace (Porto) desceu para Chave de Prata, distinção em que se concentram as principais novidades, com as entradas da Quinta da Comporta, do Bairro Alto Hotel, do EPIC SANA Algarve, do Grande Hotel Açores Atlântico e do Les Suites at The Cliff Bay. Deixam a lista de premiados o Conrad Algarve, o Flores Village Hotel & Spa, a Pousada de Lisboa, o Savoy Saccarum Hotel & Spa e o Terra Nostra Garden Hotel.

O Prémio Carreira Boa Cama Boa Mesa 2020 distinguiu o fundador e presidente do grupo Vila Galé, Jorge Rebelo de Almeida, reconhecendo a sua “contribuição para o desenvolvimento e afirmação da hotelaria nacional”.

Além do sucesso empresarial, Jorge Rebelo de Almeida, de 70 anos, é igualmente distinguido “enquanto líder capaz de contagiar equipas através do entusiasmo e do espírito visionário que coloca em cada projeto”.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.