O antigo diretor-Geral da Saúde (DGS) apela aos deputados para que mudem a Constituição de forma a permitir o internamento obrigatório de doentes quando estiver em causa motivos de saúde pública.

"É preciso chamar à atenção para a necessidade de se mudar a Constituição no sentido de permitir o internamento obrigatório em nome dos interesses da saúde pública, não só do próprio doente que tem de ser tratado, mas, sobretudo, para evitar que um cidadão que esteja a viajar no autocarro não adquira uma infeção devido a esta liberdade, excessiva a meu ver, que os doentes têm de recusar internamento", disse o médico à Rádio Renascença.

Fotogaleria: China constrói hospital em 10 dias para tratar doentes com coronavírus
Fotogaleria: China constrói hospital em 10 dias para tratar doentes com coronavírus
Ver artigo

A mesma posição foi reforçada pelo próprio num artigo de opinião no jornal Público e numa entrevista à RTP Notícias, em que preferiu não comentar a atual DGS na gestão pública do surto que surgiu em Wuhan, China.

"Em Portugal, é altura de deputados da Assembleia da República alterarem a alínea h) do número 3, do artigo 27.º da Constituição, no sentido de passar a ser permitido o internamento obrigatório por motivos de Saúde Pública. Inadiável", escreveu Francisco George no Público.

Francisco George frisou ainda que Portugal está preparado para responder a possíveis casos da doença em território nacional.

As autoridades de saúde da China anunciaram estar quarta-feira mais 26 mortes, o que eleva o balanço do coronavírus para 132 vítimas fatais, e 5.974 casos confirmados.

O número já supera o número de infeções da epidemia de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SARS) de 2002 e 2003, outro coronavírus que contaminou 5.327 pessoas no país. A SARS provocou 774 mortos em todo o mundo, 349 deles na China continental.

Perguntas e respostas: O que precisa de saber sobre o novo coronavírus
Perguntas e respostas: O que precisa de saber sobre o novo coronavírus
Ver artigo

Vírus continua a alastrar fora da China

As autoridades de saúde alemãs confirmaram mais três casos de contágio pelo novo coronavírus (2019-nCoV) detetado na China, aumentando para quatro o número de contagiados naquele país. A Alemanha é o segundo país na Europa afetado pelo surto, depois de França.

Os sintomas associados à infeção são mais intensos do que uma gripe e incluem febre, dor, mal-estar geral e dificuldades respiratórias, como falta de ar.

Além do território continental da China, de França e Alemanha, também foram reportados casos de infeção em Macau, Hong Kong, Taiwan, Tailândia, Japão, Coreia do Sul, Estados Unidos, Singapura, Vietname, Nepal, Malásia, Austrália e Canadá.

Veja a cronologia da expansão do vírus em imagens:

Veja o vídeo: O que é um coronavírus?

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.