“Fomos dos primeiros a levantar a suspensão de visitas [na chamada primeira vaga da pandemia] mas dado o aumento exponencial de casos positivos na região, foi decidido suspender o regime de visitas, salvaguardando algumas exceções”, disse à agência Lusa fonte do CHVNG/E.

A decisão deste centro hospitalar também se prende com a “necessidade de proteger os doentes internados e criar maior segurança a todos os utentes e profissionais”, acrescentou a mesma fonte sobre uma decisão que entrou em vigor na sexta-feira e esta semana está a ser divulgada através das redes sociais desta unidade de saúde.

O regime de visitas do CHVNG/E encontra-se suspenso salvo exceções como em contexto de nascimentos, nomeadamente do progenitor caso este não assuma o papel de acompanhante.

Também as visitas em contexto de término do ciclo de vida são exceção, mas estas têm de contemplar requisitos como “número reduzido de pessoas em simultâneo nos espaços clínicos (…), cumprimento das regras de segurança [e] tempo reduzido de visita”, lê-se na informação que está a ser divulgada.

As pessoas que queiram, dentro das exceções citadas, fazer visitas a doentes internados estarão também sujeitos a um controlo de identificação para garantir que têm “permissão prévia de visita”, tendo de cumprir normas como uso de máscara, bem como “higienização das mãos no início, fim de visita e sempre que necessário”.

À data de hoje, o CHVNG/E conta com 25 doentes internados com covid-19 em enfermaria e nove na unidade de cuidados intensivos.

Além desta medida, este centro hospitalar está a intensificar as campanhas de sensibilização junto de utentes, quer para o cumprimento de medidas preventivas quer para o recurso às urgências do hospital.

“Comunicado à População dos Concelhos de Vila Nova de Gaia e Espinho. Como é do conhecimento de todos, temos vindo a assistir a um elevado aumento do número de casos positivos de infeção por Sars-CoV-2. Este aumento significativo tem consequências não apenas na saúde e bem-estar individual de cada um, dada a maior probabilidade de contrair a doença, tem também na saúde de toda a nossa comunidade e dos nossos familiares”, lê-se numa publicação recente na página de Facebook do CHVNG/E.

No mesmo comunicado no qual é frisado o pedido de que “durante este período” as urgências dos hospitais apenas sejam usadas “em casos graves e emergentes”, o hospital pede às pessoas que evitem eventos sociais e familiares, a realização de festas, almoços, jantares ou outras comemorações, e que nos restaurantes e cafés, utilizem máscara, apenas retirando no momento de consumo.

“Relembramos que não poderão juntar-se mais que cinco pessoas, e sempre com distanciamento exigido. Nos locais de trabalho, utilize sempre máscara. Sempre que possível, adote o regime de teletrabalho e/ou desfasamento de horários”, são outros dos alertas repetidos pelo CHVNG/E.

Portugal contabiliza hoje mais 15 mortos relacionados com a covid-19 e 1.876 casos confirmados de infeção com o novo coronavírus, segundo o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS).

Ainda de acordo com o relatório hoje divulgado, a região Norte regista hoje mais 1.106 novos casos de covid-19, totalizando 41.542 casos e 976 mortos desde o início da pandemia.

A pandemia de covid-19 já provocou mais de 1,1 milhões de mortos e mais de 40 milhões de casos de infeção em todo o mundo.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Depois de a Europa ter sucedido à China como centro da pandemia em fevereiro, o continente americano é agora o que tem mais casos confirmados e mais mortes.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.