O arroz vermelho é um arroz integral de grão longo e de cor vermelha ou acastanhada, resultante dos seus pigmentos naturais. "Diferencia-se do arroz tradicional pelo facto de ser bastante rico em fibras e hidratos de carbono complexos, propriedades que aumentam a sensação de saciedade, constituindo deste modo um alimento recomendável na redução do peso e do apetite", explica a médica Teresa Laginha.

Apesar de ainda ser difícil de encontrar no mercado, o arroz vermelho pode ser confecionado e consumido como o arroz tradicional. "Cozido ou refogado, este alimento contém os mesmos benefícios, no entanto, por ter um sabor mais intenso. É, por isso, aconselhável a redução dos temperos habitualmente utilizados durante a sua confeção", salienta a especialista.

Através do cruzamento da investigação molecular com as tradições asiáticas seculares da fermentação deste tipo de arroz, concluiu-se que a fermentação produz uma levedura de coloração vermelha que reduz os níveis de colesterol.

"A eficácia da levedura de arroz vermelho resulta da presença de Monakolina K, substância que diminui a síntese de colesterol no fígado, tendo impacto na redução do colesterol total e do colesterol LDL. Além disso, este arroz é também rico em antioxidantes, zinco e vitamina B6, elementos fortemente associados a benefícios contra o envelhecimento celular, imunidade e humor", enumera a especialista em Medicina Geral e Familiar.

Indicada para pessoas com colesterol LDL elevado

A levedura de arroz vermelho destina-se, por exemplo, a pessoas com aumentos ligeiros a moderados de colesterol e risco cardiovascular. "Constitui ainda uma opção para pessoas que preferem soluções naturais, para pessoas que se consideram muito jovens para iniciar um tratamento farmacológico e uma mais valia para as pessoas intolerantes aos grupos terapêuticos utilizados para reduzir o colesterol", sugere Teresa Laginha.

No entanto, a médica desaconselha o consumo da levedura de arroz vermelho a mulheres grávidas e em período de amamentação. De notar ainda, que em relação ao arroz vermelho, alguns estudos desaconselham o consumo de grandes quantidades deste tipo de arroz a crianças e idosos, devido à possibilidade de efeitos secundários renais.

As explicações científicas são de Teresa Laginha, médica especialista em Medicina Geral e Familiar.

Leia também: 17 comidas saudáveis que nunca provou

Saiba mais11 truques surpreendentes para baixar o colesterol

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.