Ana Maria Silva, investigadora do Centro de Neurociências e Biologia Celular da Universidade de Coimbra foi galardoada em 2015 com o Prémio de Jovem Investigadora pelo estudo que avaliou, pela primeira vez, o contributo do metabolismo das células ósseas na osteoporose após a menopausa, uma doença que afeta 17% das portuguesas. O projeto, contou a especialista à Prevenir, avalia «o metabolismo das células essenciais na construção e manutenção de ossos saudáveis, os osteócitos, osteoblastos e osteoclastos».

«Acreditamos que a melhoria da performance de cada uma dessas células estará ligada à manutenção de ossos com densidade mineral óssea normal, ou seja, sem osteoporose», acrescenta a especialista. O estudo comparou também a ação dos fitoestrogénios nos ossos, que poderão ter menos efeitos adversos do que a administração da hormona estradiol como terapia de substituição hormonal.

O que se concluiu

A investigação, realizada em ratinhos, mostrou que a diminuição da produção da hormona estradiol na menopausa altera o metabolismo das células ósseas, contribuindo para o desenvolvimento de osteoporose. «Esta hormona tem um papel essencial nos osteócitos, controlando a forma como produzem energia e substratos para síntese das suas moléculas sinalizadoras e das suas subestruturas», explica Ana Maria Silva.

«Um processo indispensável para o seu normal funcionamento», acrescenta. Verificou-se também que a reintrodução de estradiol no organismo dos ratinhos (em menopausa induzida) altera o perfil destas células «para níveis semelhantes aos da pré-menopausa», sublinha a investigadora da Universidade de Coimbra.

No futuro

A réplica deste estudo em humanos está, contudo, «muito distante», acredita, dado que implicaria a extração de osso em condições muito controladas. Mas os dados já apurados poderão dar um importante contributo para a ciência. «O conhecimento da fisiologia destas células ósseas poderá ajudar a conhecer novos alvos terapêuticos», garante Ana Maria Silva.

Descodificador de conceitos:

- Estradiol

Hormona produzida nos ovários que está envolvida na função reprodutiva e com ação no processo de formação e remodelação óssea.

- Osteoporose

Doença caracterizada pela diminuição da massa óssea e alteração da qualidade do osso, levando a uma menor resistência e consequente aumento do risco de fraturas.

- Osteoblastos

Células responsáveis pela mineralização do osso.

- Osteoclastos

Células responsáveis pela absorção e remodelação do tecido ósseo.

- Osteócitos

Células que resultam da maturação dos osteoblastos.

Texto: Carlos Eugénio Augusto

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.