Quantas vezes ouvimos alguém conhecido dizer frases como “não tenho dormido bem nas últimas noites...” ou “mais uma noite de sono perdida”? O Dia Mundial do Sono celebra-se esta sexta-feira, dia 18 de março, e nunca é demais relembrar a importância de uma noite bem dormida. Principalmente nos tempos conturbados em que vivemos atualmente, onde diariamente somos inundados por notícias que podem perturbar o nosso subconsciente.

Todo o nosso corpo está interligado, esta é a primeira mensagem importante. Existem diferentes motivos para estarmos perante uma privação de sono, entre os quais o trabalho por turnos ou o síndrome da Apneia Obstrutiva do Sono. Situações destas têm influência direta não só sobre a quantidade de horas que dormirmos, mas também se essas mesmas horas constituem um sono reparador.

O ciclo do sono é composto por várias fases: da fase 1 à 4, sendo que por fim atingimos o sono REM, repetindo-se este ciclo várias vezes durante a noite. Este último tem particular importância, pois é durante este sono que acontecem todos os mecanismos bioquímicos no nosso corpo, que permitem a recuperação dos tecidos humanos.

Quando saltamos algumas destas fases, acontece aquilo que denominamos como desfragmentação do sono, fazendo com que as nossas células não tenham a regeneração que deveriam ter, levando ao envelhecimento celular.

As perturbações emocionais são também um fator que pode levar à ausência de sono. Durante os últimos anos fomos obrigados a aprender a lidar com uma doença desconhecida. Agora, uma guerra tomou conta dos noticiários e somos diariamente expostos a um grau de informação que pode causar elevados níveis de ansiedade.

Por vezes, pequenas coisas que achamos serem insignificantes no nosso bem-estar, ficam a atuar no nosso subconsciente e levam muitas vezes a insónias, a noites mal dormidas. E a verdade é que as consequências da ausência de sono afetam a vida humana em diferentes vertentes.

Em termos profissionais, porque a capacidade de concentração diminui, a fadiga aumenta, o humor altera-se, e os nossos comportamentos também mudam.

Se passamos mais horas acordados, é inevitável não se comer mais snacks ao longo do dia. Mas depois, será que fazemos uma adequada escovagem dentária?

Devemos memorizar: pela nossa saúde, o sono é essencial e ausência do mesmo é um sinal de alerta. E quando se verifica que o mesmo já está instável há mais tempo do que é suposto, então deve ser procurada ajuda médica.

Texto: Dr. Pedro Crispim, Médico Dentista: Reabilitação Oral, Oclusão e Disfunção Temporomandibular e Medicina Dentária do Sono

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.