Renegociar o seu crédito habitação

O caso do crédito habitação é um caso ainda mais gritante pois a queda das taxas EURIBOR vem acompanhada da queda dos spreads, fruto de uma guerra comercial que está para ficar. Por exemplo, sabia que já é possível contratar o seu crédito habitação com um spread abaixo de 1%?

Se quiser renegociar o seu crédito habitação deverá contactar o seu gestor de conta para solicitar uma redução do spread. Poderá ser solicitada a contratação de algum produto específico pelo que sugerimos que faça as suas contas. Em alternativa, veja se vale a pena transferir o seu crédito habitação para outra instituição.

Negociar os seus cartões de crédito

Sabia que a taxa de juro que lhe é cobrada no seu cartão de crédito é a taxa máxima em vigor na altura em que contratou o cartão? Como as taxas têm vindo a cair, é possível que lhe estejam a cobrar uma taxa superior a 30%, quando hoje em dia a taxa máxima não passa dos 17%. Para conseguir poupar dinheiro no cartão de crédito deverá contactar o seu gestor de conta solicitando uma revisão das condições. Em alternativa, poderá contratar outro cartão de crédito e usar o plafond para liquidar a dívida do cartão que pretende cancelar. Uma alternativa ainda melhor passa por contratar um crédito pessoal para liquidar a dívida do cartão e com isso poupar nos juros e garantir que se livra dessa dívida.

Consolidar os seus créditos

A consolidação de créditos é algo cada vez mais comum. Com a consolidação aproveita a queda das taxas de juro ao juntar os créditos todos num único, com uma taxa mais baixa. Nem todas as instituições financeiras fazem consolidações de crédito, mas existem ainda assim algumas alternativas. Neste contexto, poderá optar por uma consolidação com hipoteca ou com uma consolidação pura. A vantagem da primeira é poder ter uma taxa e um prazo que se assemelham às condições do crédito habitação. A desvantagem são os custos e a necessidade de ter um imóvel com avaliação que suporte a operação.

Amortize os créditos com taxas de juro mais elevadas

A queda das taxas de juro tem resultado na redução das prestações com os créditos que têm taxas variáveis, sendo o mais comum o crédito habitação. Assim, por que não aproveitar o maior rendimento disponível para liquidar antecipadamente os outros créditos? Tenha em mente que não iremos viver num ambiente de taxa de juro negativas para sempre e que temos de nos acautelar para o futuro. Adicionalmente, a queda das taxas de juro teve também um impacto forte nas taxas de retorno das poupanças. Veja-se, por exemplo, as taxas praticadas nos depósitos a prazo. Logo, a melhor alternativa para aplicar o seu dinheiro é liquidar as suas dívidas.

A redução das taxas EURIBOR é positiva para quem tem créditos, mas tem penalizado todos aqueles que têm poupanças. Assim, temos de usar da nossa inteligência financeira para aproveitar estas oportunidades mas sem perder de vista a prudência financeira.

Leia também: Já ouviu falar nos Seguros de Capitalização? 

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.