A situação coincide com a declaração de situação de emergência pelo Presidente da Câmara Municipal de Londres, Sadiq Khan, onde os hospitais correm o risco de ficar sobrelotados devido ao aumento rápido do número de infetados pelo coronavirus responsável pela doença covid-19.

"A situação em Londres agora é crítica, com o vírus a espalhar-se fora de controlo. (…) A realidade é que vamos ficar sem camas para pacientes nas próximas duas semanas se a propagação do vírus não diminuir drasticamente”, justificou, em comunicado.

O número de casos em Londres ultrapassou os 1.000 por 100.000 habitantes, uma das taxas mais elevadas no país, indicou.

De acordo com a atualização feita hoje pelo governo, o índice de transmissibilidade efetivo (Rt) no Reino Unido aumentou para entre 1.1 e 1.4.

Na quinta-feira tinham sido contabilizados 1.162 mortes e 52.618 novos casos.

Desde o início da pandemia foram contabilizados 2.957.472 casos de contágio e 79.833 mortes de pessoas infetadas no Reino Unido.

A pandemia de covid-19 provocou pelo menos 1.899.936 mortos resultantes de mais de 88 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 7.590 pessoas dos 466.709 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.