Fermentar não significa apodrecer, mas sim um processo enzimático de transformação dos alimentos. É o método de conservação mais antigo de todos.

Existem, no entanto, vários tipos de fermentação: A natural e a industrial.

O processo de fermentação natural permite reforçar os probióticos existentes nos alimentos, a par da exaltação da função enzimática. Já o processo de fermentação industrial é feito através da adição de substitutos químicos de bactérias.

O processo de fermentação natural é, claro, muito mais benéfico para o nosso organismo. É mais lento e moroso, mas a qualidade do resultado é incomparável.

Esqueça a ideia de que o pão engorda. O bom pão não nos desilude
créditos: Lifestyle

E quais os benefícios do consumo de fermentados?

O consumo de fermentados tem efeitos muito positivos para o nosso organismo, entre os quais:

- Favorecimento da digestão (pela ação probiótica e favorecimento do trânsito intestinal). O processo de fermentação funciona quase como uma pré-digestão, em que alguns compostos se começam a decompor, como é o caso do glúten, da lactose e das toxinas. Dá-se um processo de desintoxicação em que parte dos ácidos tóxicos deste processo são libertados, tornando os fermentados alimentos seguros para serem consumidos – independentemente do tempo de fermentação longa;

- Promove a correta e fácil assimilação dos alimentos pelas enzimas e vitaminas presentes;

- Adiciona novos nutrientes, ou seja, o processo de fermentação permite criar novas bactérias e nutrientes importantes para a saúde do nosso corpo, como por exemplo as vitaminas B, principalmente a B12;

- Fonte de bactérias “boas”. O nosso corpo é composto por milhões de bactérias e precisamos delas para nos mantermos vivos. Os alimentos fermentados estão repletos de boas bactérias, desenvolvidas durante o processo, principalmente relevantes para o funcionamento dos nossos intestinos.

Para além disto, os alimentos fermentados são uma explosão de sabor, dando uma nova vida ao alimento original.

fermentados
Pickles créditos: Green Smiles

Temos alguns exemplos de alimentos fermentados, entre os quais...

- Pickles (atenção aos pickles de compra, pois estão carregados de açúcar e aditivos. Na verdade, não os considero verdadeiros pickles, são vegetais enlatados);

- Azeitonas;

- Chocolate: numa fase inicial o cacau é fermentado antes de ser transformado em chocolate;

- Vinagre;

- Vinho;

- Cerveja;

- Iogurte - atenção aos iogurtes pasteurizados. Se o forem todo o processo de fermentação será destruído, pois as bactérias criadas na fermentação são eliminadas;

- Chucrute;

- Miso;

- Tempeh;

- Shoyu (molho de soja).

O pão é o resultado de um processo de fermentação! Farinha, água e sal misturados, dão origem ao alimento que tanto gostamos. O pão resultante de um processo de fermentação natural é bastante mais fácil de digerir e leve, não sentimos a sensação de inchaço ou enfartamento - isto porque alguns nutrientes mais difíceis de digerir, começam o seu processo de decomposição muito antes de serem consumidos (ex: glúten).

Como consumir fermentados?

Recomenda-se o seu consumo diário, ainda que em doses reduzidas. Assim sendo, as melhores opções de fermentados para consumo diário são os pickles, a chucrute, o miso e o shoyu (molho de soja).

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.