A depressão está associada a um maior risco de doença de Parkinson, é o que relata um novo estudo Sueco, e quanto mais grave a depressão, maior o risco!

Investigadores suecos compararam 140.688 pessoas que sofriam de depressão com 421.943 pessoas que não sofriam da doença.

Os grupos foram acompanhados em média durante 7 anos, sendo que em alguns casos chegou aos 25, sendo encontrandos 3.260 casos de doença de Parkinson.

O estudo, constatou que a taxa da doença de Parkinson em pessoas com depressão foi quase três vezes maior do que as pessoas sem a mesma.

Entre as pessoas que sofriam de depressão, os que foram hospitalizados e aqueles cuja depressão foi recorrente estavam em maior risco, sugerindo que quanto mais grave a depressão, maior o risco de sofrerem da doença de Parkinson.

O investigador principal do estudo, Peter Nordstrom, professor de geriatria da Universidade de Umea, na Suécia, refere " os danos que a depressão causa no cérebro, pode levar a um aumento no risco de sofrer de Parkinson", “Ou pode ser também um sintoma muito inicial na doença de Parkinson, é impossível dizer. "

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.