Em conferência de imprensa, Carissa Etienne, diretora da OPAS, braço regional da Organização Mundial da Saúde (OMS), manifestou a sua preocupação com a "incidência desproporcional" da doença entre os jovens.

Isso indica que "as pessoas jovens são os principais impulsores da propagação da doença na nossa região", afirmou.

A especialista afirmou que existe um padrão semelhante em todo o continente de concentração de casos no grupo de 20 a 59 anos, mas que 70% das mortes ocorrem entre as pessoas de mais de 60 anos.

Se uma pessoa não tomar as medidas necessárias para se manter à salvo, pode estar a colocar outras pessoas em risco

Etienne expicou que muitos dos jovens que se infetam apresentam um quadro leve e não precisam de internamento em unidades de cuidados intensivos, mas transmitem a doença para outras pessoas que acabam por ser internadas.

Para a diretora da OPAS, este é um lembrete de que o combate à COVID-19 é uma "responsabilidade partilhada". "Se uma pessoa não tomar as medidas necessárias para se manter à salvo, pode estar a colocar outras pessoas em risco", destacou.

A pandemia de COVID-19 já provocou pelo menos 813 mil mortos e infetou mais de 23,6 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Depois de a Europa ter sucedido à China como centro da pandemia em fevereiro, o continente americano é agora o que tem mais casos confirmados e mais mortes.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.