Air Mauritius Avião África Ilhas Maurícias
créditos: LAURA MOROSOLI / AFP

Durante uma inspeção de rotina após a aterragem de um avião procedente de Madagáscar nas ilhas Maurícias, os funcionários encontraram restos de papel com sangue, gerando um alerta entre o pessoal aeroportuário, o que levou à descoberta do recém-nascido.

Uma jovem de 20 anos, suspeita de ser a progenitora da criança, foi submetida a um exame médico que confirmou que tinha acabado de dar à luz, informa a BBC.

A mulher, que inicialmente negou ser a mãe do bebé, acabou detida e encaminhada para um hospital. Tanto ela como o recém-nascido estão bem de saúde, garantem as autoridades.

Assim que foi descoberto, o bebé foi de imediato transportado para um hospital, onde está a receber tratamento médico, estando no entanto livre de perigo.

O avião da Air Mauritius aterrou no aeroporto internacional Seewoosagur Ramgoolam, na capital das Ilhas Maurícias no dia 1 de janeiro.

Segundo a televisão britânica, a mulher, que foi para as Ilhas Maurícias com uma autorização de trabalho, será interrogada assim que deixar o hospital, e, se for a julgamento, arrisca-se a ser condenada a pena de prisão.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.